Polícia norueguesa diz que atirador 'tinha outros alvos'

Memorial para vítimas do ataque na ilha de Utoeya, na Noruega. Direito de imagem Reuters
Image caption Atirador norueguês disse ter outros alvos além dos prédios do governo e da ilha de Utoeya

A polícia da Noruega confirmou neste sábado que Anders Behring Breivik, que admitiu a responsabilidade pela morte de pelo menos 77 pessoas há uma semana, tinha outros alvos em mente.

O porta-voz da polícia, Paal-Fredrik Hjort Kraby, disse que, durante o interrogatório, Breivik falou em termos gerais sobre outros locais que teria pensado em atacar.

No entanto, Kraby se recusou a confirmar as especulações da mídia norueguesa de que os alvos incluiam o Palácio Real e a sede do Partido Trabalhista.

Pelo menos 69 pessoas foram mortas na ilha de Utoeya e outras 8 morreram na explosão de um carro bomba no centro de Oslo algumas horas antes.

Sem ajuda

Breivik foi interrogado pela segunda vez na sexta-feira, e de acordo com a polícia, afirmou ter agido sozinho no dia dos ataques.

"Perguntamos a ele sobre seus movimentos nos prédios do governo antes, durante e depois (do ataque), para verificar que ele estava sozinho, como diz. Agora estamos checando as câmeras de vidro do centro de Oslo para confirmar", disse o porta-voz.

Durante a primeira audiência, na última segunda-feira, Breivik teria afirmado que havia duas células extremistas trabalhando com ele.

Em uma cerimônia em memória das vítimas, na sexta-feira, o primeiro-ministro norueguês, Jens Stoltenberg afirmou que a democracia do país não será minada pelo extremismo.

Notícias relacionadas