Amanda Knox e ex-namorado condenados por assassinato aguardam resultado de recurso

Raffaelle Sollecito e Amanda Knox Foto: AFP Direito de imagem AFP
Image caption Sollecito e Knox querem derrubar a condenação por assassinato

A americana Amanda Knox e seu ex-namorado Raffaele Sollecito, condenados pelo assassinato de uma estudante britânica em um crime que chocou a Itália em 2007, fazem nesta segunda-feira suas declarações finais antes do resultado de seu recurso, que já dura 11 meses.

Knox, 24, e Sollecito, 27, foram condenados a 26 e 25 anos de prisão pelo assassinato da britânica Meredith Kercher, mas a defesa alega que o DNA encontrado em uma faca de cozinha estava contaminado.

Já a acusação pede que as sentenças sejam aumentadas para prisão perpétua, devido a "provas consideráveis de que o casal esteve na cena do crime", e afirma que vai apelar se a condenação for derrubada.

'Jogo Sexual'

Segundo a promotoria, Meredith Kercher, de 21 anos, foi morta durante uma jogo sexual brutal que deu errado.

Kercher e Knox eram estudantes e faziam intercâmbio em Perugia na época do crime. Elas dividiam a mesma casa, onde o corpo de Kercher foi encontrado no dia 2 de novembro de 2007, com a garganta cortada e parcialmente vestida.

Durante o julgamento, Knox foi descrita por advogados como "uma bruxa" e como uma pessoa com dupla personalidade, com um lado "angelical, bom, misericordioso e de algumas formas até santo" e outro "demoníaco, satânico, diabólico".

Direito de imagem AP
Image caption Kercher foi encontrada com a garganta cortada na casa que dividia com Knox

Já a defesa comparou a americana à personagem Jessica Rabbit, do filme Uma Cilada para Roger Rabbit, dizendo que criou-se uma imagem de uma mulher calculista, libertina e aproveitadora para Knox, mas que na verdade ela era "fiel e amorosa".

O advogado até usou uma frase do filme de animação: "(Ela) não é má. Ela só foi desenhada assim."

Novos apelos

O júri, formado por dois juízes e seis pessoas comuns, vai ouvir as declarações finais dos dois condenados antes de se reunir para decidir sobre o recurso.

Se a condenação for mantida, os dois ainda podem apelar no mais alto tribunal de apelações da Itália.

Parentes de Knox disseram que vão levá-la de volta a Seattle imediatamente caso a condenação seja derrubada, apesar de a promotoria ter afirmado que iria recorrer da decisão.

A família de Kercher disse recentemente que a verdadeira vítima no caso "foi completamente esquecida" devido à atenção dada pela mídia a Amanda Knox.

"Nesses quatro anos, Meredith foi completamente esquecida. Mas precisamos encontrar justiça para ela, precisamos descobrir a verdade para ela", disse sua irmã Stephanie à mídia italiana.

Além de Knox e Sollecito, uma terceira pessoa foi condenada pelo assassinato de Kercher em um julgamento separado. Rudy Guede, de 21 anos, foi condenado a 30 anos de prisão, mas após um recurso, a pena foi reduzida para 16 anos.

Notícias relacionadas