Trio que 'revolucionou conhecimento do sistema imunológico' ganha Nobel de Medicina

A medalha do Prêmio Nobel (Divulgação/ Comitê do Prêmio Nobel) Direito de imagem npc
Image caption Medalha do Prêmio Nobel, em homenagem a Alfred Nobel

Três cientistas que desvendaram mecanismos importantes do sistema imunológico foram premiados nesta segunda-feira com o Nobel de Medicina, informou o comitê organizador da premiação.

O americano Bruce Beutler e seu colega Jules Hoffmann, de Luxemburgo, dividiram entre si uma metade do prêmio por suas descobertas relativas à ativação do sistema imune inato.

Já o canadense Ralph Steinman recebeu a outra metade por sua descoberta das células dendríticas e seu papel na imunidade adaptativa.

No entanto, pouco depois do anúncio do prêmio soube-se que Steinman morreu na última sexta-feira, vítima de câncer. A notícia levantou especulações quanto a se o prêmio seria mantido - a Fundação Nobel tem como regra não oferecer prêmios póstumos.

Mas a fundação disse em comunicado que a premiação não será alterada, já que ela foi feita em "boa fé" - sem o conhecimento da morte de Steinman - e definida antes do falecimento do cientista. Ou seja, ele foi escolhido vencedor antes de morrer, ainda que o prêmio não tivesse sido dado.

"Os laureados do Nobel deste ano revolucionaram nossa compreensão do sistema imunológico ao descobrir princípios cruciais para a sua ativação", afirmou em um comunicado o comitê do Instituto Karolinska, baseado na Suécia, que aponta o Nobel de Medicina ou de Fisiologia.

"Seus trabalhos abriram novas avenidas para o desenvolvimento da prevenção e terapia contra infecções, câncer e doenças inflamatórias."

O prêmio é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de US$ 1,5 milhão ou R$ 2,7 milhões). O de medicina é tradicionalmente o primeiro a ser concedido. Nos próximos dias, o comitê anunciará os laureados em química, física, literatura, economia e paz.

Notícias relacionadas