Brasil fica atrás de Brics e América Latina no Prêmio Nobel

O peruano Vargas Llosa durante a premiação do Nobel de 2010 (AP) Direito de imagem AP
Image caption Escritores latino-americanos como Vargas Llosa já foram premiados com o Nobel de Literatura

O Brasil é inexpressivo em todas as categorias do Prêmio Nobel, inclusive se comparado com os países com os quais compartilha o grupo Brics e com seus vizinhos de América Latina.

Levando-se em conta apenas o local de nascimento dos premiados, o país é listado apenas uma vez entre os mais de 800 laureados do Nobel desde 1901: com Peter Brian Medawar (1915-1987), nascido no Rio de Janeiro mas educado desde a adolescência na Grã-Bretanha, onde desenvolveu as pesquisas sobre transplantes e sistema imunológico que lhe renderam o Nobel de Medicina em 1960, em conjunto com um pesquisador australiano.

Em comparação, entre os Brics, a Rússia é citada 17 vezes como país de nascimento de pessoas laureadas em todas as seis categorias do Nobel – física, química, literatura, paz, medicina e economia.

O número aumenta se forem levados em conta premiados na antiga URSS, como por exemplo Mikhail Gorbachev, que levou o Nobel da Paz em 1990.

China e África do Sul têm, cada um, oito nativos premiados – no caso sul-africano estão, entre outros, Nelson Mandela, Frederik de Klerk e o bispo Desmond Tutu, laureados com o Nobel da Paz pela contribuição à igualdade racial no país.

A Índia é o país natal de sete premiados (descontados os vencedores nascidos em áreas hoje pertencentes ao Paquistão).

América Latina

Direito de imagem AP
Image caption Mandela e De Klerk estão entre os oito sul-africanos já agraciados com o Nobel

Seis países da América Latina também já foram agraciados com prêmios Nobel, com destaque para a Argentina, onde nasceram quatro vencedores – dois na categoria Medicina, em 1947 e 1984, e dois na categoria Paz (Adolfo Pérez Esquivel, em 1980, por seu trabalho de promoção dos direitos humanos, e Carlos Saavedra, em 1936, por sua mediação, enquanto chanceler, da Guerra do Chaco, entre Bolívia e Paraguai).

O México é o país de nascimento de três premiados, incluindo o escritor Octavio Paz, Nobel de Literatura em 1990.

Há escritores agraciados com a premiação também no Chile (Pablo Neruda e Gabriela Mistral), no Peru (Mario Vargas Llosa) e na Colômbia (Gabriel García Márquez). A Costa Rica se destaca com o Nobel da Paz entregue em 1987 ao ex-presidente Oscar Arias, por colaborar com os esforços de pacificação da América Central.

Os Estados Unidos são o país com o maior número de cidadãos premiados: 242, incluindo Thomas Sargent e Christopher Sims, que nesta segunda-feira foram anunciados como os vencedores do Nobel de Economia.

Leia mais: Nobel de 2011 reforça supremacia de universidade americanas em Economia