Mecenas brasileiro está em lista dos mais poderosos do mundo das artes

Instituto Inhotim (Foto: Regine Debatty - Wikimedia Commons) Direito de imagem Wikimedia Commons
Image caption Bernardo Paz criou o Instituto Inhotim, em MG (Foto: Regine Debatty - Wikimedia Commons)

O empresário Bernardo Paz, criador do Instituto Inhotim, é o único brasileiro na lista das cem pessoas mais poderosas do mundo das artes, divulgada nesta quinta-feira pela prestigiosa revista Art Review.

Inhotim, localizado em Brumadinho (MG), cidade próxima a Belo Horizonte, tornou-se uma referência no mundo da arte contemporânea.

Em recente entrevista ao jornal O Globo, Paz – 76º colocado na lista da Art Review – disse que sua intenção era criar um local "para a eternidade" e "onde as pessoas podem vir e trabalhar sem pressa, cercadas de pássaros".

A compilação da Art Review inclui artistas, críticos de arte, mecenas e donos de galeria, a maioria deles de nacionalidades americana ou europeia.

Ai Weiwei

Direito de imagem Reuters
Image caption Chinês Ai Weiwei o mais poderoso do mundo das artes

Quem encabeça a lista é o artista dissidente chinês Ai Weiwei.

Crítico aberto do sistema político chinês, ele foi mantido em prisão domiciliar por mais de dois meses neste ano. Segundo as autoridades chinesas, ele foi preso por evasão de impostos, mas sua família opina que a intenção do governo chinês era o de impedir seu ativismo.

"A prisão de Ai e as reações que se seguiram a ela só fizeram aumentar o apetite do público já interessado em ver seu trabalho", diz o texto da Art Review, agregando que o artista mantém uma programação "intensa" de exibições.

Em entrevista à BBC, Ai disse que se sente frágil, e não poderoso, e que considera responsabilidade de todo artista proteger a liberdade de expressão.

Notícias relacionadas