Ministros do G20 discutem soluções para crise europeia em Paris

Participantes do G20 Foto: Reuters Direito de imagem Reuters
Image caption Ministro das Finanças da França (à esq.) conversa com outros participantes do encontro do G20

A reunião de ministros das finanças e presidentes dos bancos centrais do G20, nesta sexta-feira e sábado em Paris, vai dar prioridade às discussões sobre soluções para a crise europeia, que ameaça a economia mundial com uma nova recessão.

"A prioridade absoluta é encontrar elementos para estabilizar a zona do euro, epicentro da crise mundial", declarou a presidência francesa do G20, grupo que reúne países ricos e os principais emergentes.

A pressão é grande para que os europeus resolvam rapidamente a crise da dívida soberana e os problemas de seus bancos fragilizados, que necessitam de uma recapitalização.

Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou na quinta-feira em Paris que a crise pode se agravar "se os europeus não conseguirem equacionar seus problemas" e afirma que o "perigo mais imediato" é o do setor bancário do continente.

Para Mantega, que se reúne na tarde desta sexta-feira com o ministro francês das Finanças, François Baroin, os bancos europeus devem assumir parte dos prejuízos com os títulos das dívidas soberanas de países em crise, mas os governos da Europa também devem injetar dinheiro nas instituições financeiras.

A ajuda dos governos é fundamental para evitar "um novo episódio como o do Lehman Brothers", afirmou Mantega, se referindo à quebra do banco americano em 2008 que agravou a crise financeira.

Japão e EUA

Os governos do Japão e dos Estados Unidos também exigem que a Europa detalhe na reunião do G20 seu plano para lutar contra a crise e adote medidas sólidas contra os riscos de propagação na economia mundial.

Se já existe um consenso na Europa sobre a necessidade de recapitalizar os bancos do continente, a forma como isso será feito ainda é objeto de árduas discussões.

Os governos querem que o setor bancário assuma uma parte maior dos prejuízos com os títulos da dívida soberana da Grécia.

Direito de imagem AFP
Image caption Manifestantes fazem protestos em Paris no dia da reunião de ministros do G20

A crise europeia deve dominar as discussões no jantar dos ministros na noite desta sexta-feira. Medidas concretas, no entanto, somente devem ser anunciadas na reunião de líderes europeus no dia 23 de outubro.

Emergentes

Os países emergentes devem apresentar na reunião em Paris uma proposta para aumentar os recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI) para ajudar os países da zona do euro, mas o ministro Mantega não quis dar detalhes sobre o assunto, afirmando que as modalidades ainda estão em discussão.

A presidência francesa do G20 solicitou a cada membro que apresente até a reunião de chefes de Estado e de governo do grupo, nos dias 3 e 4 de novembro, em Cannes, "duas ou três medidas significativas" para lutar contra a desaceleração da economia mundial.

Os organizadores do encontro também esperam que haja nesta reunião em Paris "avanços significativos" em relação a um código de conduta sobre a gestão dos fluxos de capitais, mas o Brasil é contrário a medidas para controlar o fluxo de capitais.

Notícias relacionadas