Agência da ONU eleva tom de suspeita contra programa nuclear do Irã

Ahmadinejad em usina nuclear. AFP Direito de imagem AFP
Image caption Cresce temor sobre ataque israelense a instalações nucleares em território iraniano

Relatório da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), divulgado nesta terça-feira, aponta que o Irã tem feito testes “relevantes para o desenvolvimento de artefatos nucleares”. A conclusão joga mais suspeitas sobre o programa iraniano e aumenta a tensão com Israel.

O documento da agência nuclear da ONU diz que as pesquisas iranianas incluem modelos tecnológicos usados exclusivamente no desenvolvimento de artefatos nucleares.

Nos últimos dias cresceu a tensão em Israel, onde o governo do primeiro-ministro Binyamin Netanyahu estaria discutindo a possibilidade de uma ataque às instalações nucleares do Irã.

A possibilidade de ataque alarma a comunidade internacional, temerosa das possíveis consequências de uma intervenção israelense em território iraniano. O regime do Irã não reconhece o Estado de Israel.

Analistas apontam o último relatório como o mais duro com o Irã, se comparado aos anteriores.

O Irã nega estar construindo armamentos. O país argumenta que seu programa nuclear tem fins exclusivamente pacíficos.

Ajuda

A correspondente da BBC em Viena, Bethany Bell, teve acesso ao documento. O relatório chama atenção para os modelos identificados na pesquisa iraniana, usados exclusivamente no desenvolvimento de armamentos.

O relatório diz que "a aplicação desses estudos, a não ser que seja (no desenvolvimento de) explosivos nucleares, não é conhecida pela agência".

O documento diz ainda que houve "aquisição de informação e documentação sobre o desenvolvimento de bombas nucleares, provida por uma rede de abastecimento nuclear clandestina".

O documento diz, ainda, que o Irã tentou produzir material nuclear por meios "não declarados".

Bomba atômica

Por muito pouco o relatório não afirma, categoricamente, que o Irã está desenvolvendo armamentos nucleares.

A Rússia, que já alertou Israel sobre as consequências de um eventual ataque ao Irã, disse que o relatório da AIEA aumentou a tensão no Oriente Médio.

O governo russo disse, também, que ainda é cedo para dizer se o relatório contem informações novas e evidências significativas sobre o eventual uso bélico do programa iraniano.

Especialistas em tecnologia nuclear dizem que dentro de um ano o Irã poderá ter tecnologia suficiente para desenvolver uma bomba nuclear.

No ano passado, o governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva mediou um acordo com o Irã, a respeito de seu programa nuclear, em parceria com a Turquia.

A iniciativa foi ignorada pelas grandes potências, que meses depois aprovaram sanções contra o governo iraniano no Conselho de Segurança da ONU.

Notícias relacionadas