Ivan Lessa: Sanduíche de torrada

Na verdade, eu prefiro misto quente. Com a recessão, no entanto, há que se ir devagarinho, como se pisando em ovos. O que me leva a outro sanduíche de minha predileção: o de maionese de ovo com agrião.

Tempos bicudos exigem bicos menos exigentes. Para isto, entre outras coisas, está a Real Sociedade Britânica de Química, que, saindo de seus cuidados e metas específicas, desvelou na quarta-feira que passou, um petisco de meados da era Vitoriana ora esquecido pelo povo destas ilhas.

Convenhamos, a cozinha do Reino Unido nunca foi a maior contribuição que os britânicos deram à humanidade. Poesia sim, gastronomia não.

Assim de estalo, ocorre-me apenas aquilo que nós chamamos de "molho inglês" e que por aqui corre pelo nome de Worcestershire Sauce, cuja principal função é dar gosto, ou tirar, conforme o caso, dos vários pratos servidos à mesa ou comidos de pé no pub ou nas filas de ônibus ou metrô.

O que interessa, no caso, é o que é que os gourmets químicos foram desencavar. Trata-se, segundo eles, da refeição mais barata que se pode encontrar na Grã-Bretanha.

Pode, e deve, ser feita em casa. Sua receita não é complicada.

O nome e sua feitura estão no título deste texto. O repasto em questão consiste precisamente em pegar uma torrada e imprensá-la entre duas fatias de pão.

A torrada, segundo paladares exigentes e tradicionalistas, deve ser seca e os dois pedaços de pão que a acomodam ligeiramente besuntados de manteiga mais uma pitada de sal e outra de pimenta conforme o gosto de cada um.

Os responsáveis pelo petisco retro, não fossem eles cientistas, fazem questão de enfatizar que os sanduíches de torrada não só economizam dinheiro como também são ricos em calorias, saudáveis portanto, a não ser que não se passe de um sanduíche por refeição, de preferência na hora do almoço.

Há como o gastrônomo com um olho na carteira acrescentar seu toque pessoal ao prato tradicional. Pode ser pão preto ou branco.

Pode inclusive ser preparado com margarina (esta é mais recomendável, embora inexistisse nos tempos da Rainha Vitória) ou manteiga. E ninguém piou, mas pio eu: e que tal um pedaço de pão acomodado entre duas torradas? Hem?

O importante são os números envolvidos na comilança. A Real Sociedade garante que o sanduíche de torrada não contém mais que 330 calorias e sai pela mais que razoável quantia de 7,5 pence, ou seja, por volta dos R$ 0,20.

Tão confiantes em sua redescoberta estão os homens que decidiram, por motivos de saúde e economia, fazer voltar à moda o sanduíche de torrada, que estão oferecendo 200 libras (uns R$ 560) para qualquer pessoa que apresente uma alternativa mais barata e saudável.

Como prova de boa vontade e – quem sabe? – num gesto de apoio ao movimento anti-capitalista que corre o mundo e aqui resolveu se manifestar diante da também velhusca Catedral de São Paulo, o sanduíche de torrada foi preparado por um mestre-cuca e distribuído gratuitamente para algumas dezenas de passantes, muitos deles egressos de seus escritórios próximos da City, ou seja, capitalistas ou aspirantes a essa nefasta condição ora em vias de extinção.

O que não significa que um manifestante não tenha deixado de receber receita, modos e lição de como se virar por uns poucos vinténs quando da próxima manifestação democrática.