Atleta perde os pés após 2 dias perdido na neve

Marko Cheseto (foto: University of Alaska Anchorage) Direito de imagem na
Image caption Marko Cheseto vinha sofrendo de depressão desde o suicídio de outro atleta queniano da universidade

Um corredor fundista queniano teve os pés amputados após passar mais de dois dias perdido em meio a tempestades de neve no Estado do Alasca, nos Estados Unidos.

Marko Cheseto, de 28 anos, que competia pela University of Alaska Anchorage, não estava usando roupas adequadas para o frio quando desapareceu.

Quando foi encontrado, no dia 9 de novembro, ele sofria de hipotermia e tinha congelamento dos pés e das mãos.

Segundo funcionários da universidade, suas mãos devem se recuperar totalmente, mas os pés estavam comprometidos e tiveram que ser amputados.

Depressão

O desaparecimento de Cheseto, um dia após o retorno vitorioso da equipe de cross-country da universidade em um campeonato no Estado de Washington, gerou buscas intensas pelo atleta.

Segundo a universidade, Cheseto, que estuda enfermagem e nutrição, permanecerá no hospital por um longo período para recuperação.

Em uma declaração ao jornal universitário The Northern Light, Cheseto agradeceu à instituição e aos voluntários que ajudaram nas buscas por ele.

"Apesar de ainda estar me recuperando - tanto fisicamente quanto emocionalmente - eu farei o meu melhor para devolver o que puder à comunidade que me ajudou tanto e ao meu país de origem, o Quênia. Eu peço desculpas sinceras por qualquer problema que eu possa ter provocado", disse.

Cheseto sofria de depressão desde que um outro corredor queniano da universidade, William Ritekwiang, de sua cidade-natal, Kapenguria, se matou, em fevereiro.

Após 48 horas ao ar livre em temperaturas congelantes, Cheseto entrou cambaleando em um hotel perto do campus da universidade na madrugada do dia 9 de novembro.

O gerente noturno do hotel afirmou ao jornal Anchorage Daily News que a equipe de paramédicos que o atendeu não conseguia tirar seus sapatos, que estavam congelados com seus pés.

Durante o período em que competiu pela universidade, Cheseto estabeleceu o recorde para a Meia Maratona da Prefeitura de Anchorage, em 2010, e venceu vários campeonatos estudantis americanos.

Notícias relacionadas