Contagem parcial dos votos indica recuo da sigla de Putin em eleição na Rússia

Manifestação em eleição na Rússia Direito de imagem Reuters
Image caption Manifestante foi preso neste domingo no centro de Moscou em ato da oposição

A contagem preliminar dos votos na Rússia indica que houve uma forte queda no apoio ao partido do premiê Vladimir Putin nas eleições parlamentares realizadas neste domingo.

Com mais de 50% dos votos já contados, a comissão eleitoral afirma que o partido Rússia Unida, de Putin, tem 49,6% dos votos, uma brusca queda em relação aos 64% obtidos em 2007.

Apesar disso, o partido ainda seria o principal vencedor do pleito.

Uma pesquisa de boca de urna havia indicado que o partido de Putin conquistaria 220 vagas das 450 da câmara baixa do Parlamento, conhecida como Duma. Hoje a sigla possui 315 cadeiras.

O grupo Golos, o único que monitora de forma independente o pleito russo, alega ter registrado 5,3 mil irregularidades nas eleições deste domingo. A Golos afirma que teve seu site atacado por hackers.

Putin

Se os resultados forem confirmados, o Rússia Unida poderia estar perdendo a maioria de dois terços, que permite que a sigla promova alterações na constituição sem a necessidade de apoio externo.

O líder do partido, Boris Gryzlov, disse que espera conquistar a maioria da Duma. O resultado seria embaraçoso para Putin, que pretende concorrer à Presidência em março de 2012. Ele foi presidente russo entre 2000 e 2008, mas foi impedido pela constituição do país de concorrer a um terceiro mandato consecutivo.

Segundo o comitê eleitoral, o segundo colocado no pleito - ainda com contagem parcial dos votos - é o Partido Comunista, com 19,7% dos votos. A sigla reclamou de irregularidades nas eleições.

"Nós recebemos milhares de ligações de nossos escritórios regionais, confirmando muitas violações e fraudes", disse o vice-diretor do partido Ivan Melnikov, em um comunicado no site da sigla na internet.

"Ao longo do dia, era como receber relatos de uma guerra."

A oposição denuncia desde a compra de votos a urnas cheias de votos falsos. Já Putin acusou potências estrangeiras de interferirem nas preparações para o pleito russo.

A polícia de Moscou disse que mais de cem pessoas foram presas em uma demonstração da oposição no centro da cidade no domingo.

Notícias relacionadas