Considerados decisivos, latinos não se empolgam com eleição nos EUA

Latinos nos EUA. AP Direito de imagem AP
Image caption Latinos estão mais preocupados com a falta de emprego e a crise do que com a lei de imigração

O voto dos latinos é alvo de uma disputa acirrada entre democratas e republicanos nos Estados Unidos, de olho na sucessão presidencial em novembro de 2012. Mas as pesquisas indicam que, apesar de serem peça crucial na eleição, os latinos estãos desmotivados com a campanha.

Segundo um levantamento feito pelo grupo de pesquisas Latino Decisions, o interesse desses eleitores na eleição vem caindo mês a mês.

Na pesquisa mais recente, divulgada nesta semana, 44% dos entrevistados disseram estar muito empolgados com a perspectiva de votar no ano que vem. Em outubro, eram 47%. Em agosto, 50%.

O interesse decrescente é justificado em parte pelo fato de as prévias envolverem apenas pré-candidatos à Presidência republicanos, já que Obama não tem adversários que ameacem sua candidatura no Partido Democrata.

Segundo os autores da pesquisa, o resultado é preocupante. Os latinos representam 50 milhões de pessoas e quase 9% do eleitorado americano.

Sua influência é crescente, já que o rápido aumento da população latina se traduz em mais eleitores, e seu voto pode ser decisivo na escolha do novo presidente em vários Estados.

Obama

Na eleição de 2008, essa parcela do eleitorado teve grande importância na eleição de Obama.

Neste ano, há diferentes cálculos sobre o tamanho da fatia do voto latino necessária para compensar a perda de apoio do presidente em outros segmentos e garantir sua reeleição.

Segundo o National Council of La Raza (NCLR), grupo de defesa dos direitos civis dos hispânicos com sede em Washington, o presidente precisa de pelo menos 60% do voto latino para se reeleger. Outros falam em um mínimo de 75%.

No entanto, a pesquisa do Latino Decisions aponta que apenas 54% dos latinos dizem estar certos de que votarão em Obama em 2012.

A falta de avanço na prometida reforma das leis de imigração é um dos motivos apontados para a queda de entusiasmo com a campanha do presidente.

Direito de imagem AP
Image caption Latinos são quase 9% do eleitorado americano e podem decidir eleições em algumas localidades

Para Lynn Tramonte, vice-diretora da America’s Voice, organização liberal com sede em Washington que faz lobby pela reforma da imigração, “Obama fez alguns bons discursos”.

"Mas ainda não fez o suficiente para explicar à comunidade latina o que está acontecendo, o que está fazendo a respeito e quais seus planos daqui para a frente", afirma.

Economia

Apesar do grande interesse despertado pela questão da imigração – já que boa parte dos 12 milhões de imigrantes ilegais que vivem nos Estados Unidos são de origem hispânica –, esse não é o tema que encabeça as preocupações dos eleitores latinos.

"Emprego e economia são os principais temas", disse à BBC Brasil o diretor de comunicações do NCLR, Julian Teixeira.

A crise econômica atingiu de maneira especialmente dura a comunidade latina, que registra taxas de desemprego mais altas que a população geral.

"Os latinos não são diferentes dos outros eleitores nos Estados Unidos. Também estão preocupados com economia, emprego, saúde e educação", afirma Teixeira.

Segundo Teixeira, a partir de janeiro o NCLR vai lançar uma campanha para mobilizar o eleitorado latino e tentar aumentar o comparecimento nas urnas.

A menos de um ano da eleição de 6 de novembro de 2012, a conquista desses eleitores é prioridade para candidatos dos dois partidos, não apenas à Presidência, mas também para os outros cargos em votação.

"O voto latino pode decidir não só quem vai ganhar a Presidência, mas também eleições estaduais e locais", diz Teixeira.