Vítima de tsunami na Indonésia 'se reencontra com a família'

Meri Yulanda e sua família. | Foto: AP Direito de imagem AP
Image caption Adolescente disse que foi forçada a trabalhar como pedinte após tsunami

Uma garota indonésia levada pelo tsunami de 2004 se reuniu com seus pais após sete anos, segundo a família.

No início desta semana, Meri Yulanda, também conhecida com Wati, apareceu em um café na cidade de Meulaboh, capital da província de Aceh, procurando por seus pais.

Ela disse que foi encontrada por uma viúva após o desastre e forçada a trabalhar como pedinte, sendo liberada somente na última semana.

A província de Aceh, no norte do país, foi a mais atingida pelo tsunami, que matou 230 mil pessoas.

Milhares de corpos nunca foram recuperados, e muitas famílias nunca descobriram o que aconteceu com seus entes queridos.

Ainda não houve verificação independente da história de Meri.

'Eu simplesmente sabia'

Meri, cuja idade varia entre 14 e 15 anos de acordo com relatos diferentes, voltou a sua cidade Natal lembrando somente o nome de seu avô, Ibrahim.

Alguém no café conhecia o homem pelo nome e entrou em contato com ele.

"Quando eu vi minha mãe, eu sabia que era ela. Eu simplesmente sabia", disse Meri.

"Quando ela viu sua mãe, ela gritou 'mamãe' e correu a seu encontro", disse o pai da menina, Yusuf, à agência de notícias AFP por telefone.

Sua mãe, que havia perdido as esperanças de ver Meri outra vez, disse que não reconheceu a filha imediatamente.

"As marcas de nascença em sua barriga, um sinal e uma cicatriz na sua face provaram que a menina era minha", disse Yusniar, à AFP.

Meri e sua irmã foram separadas de seus pais quando o tsunami atingiu a vila de Ujong Baroh na costa de Aceh.

Depois do desastre, o casal viajou para distritos diferentes para procurar por suas filhas, mas não conseguiu encontrá-las. A filha mais velha ainda está desaparecida.

Cerca de 168 mil pessoas foram mortas somente na província de Aceh durante o desastre.

Muitas famílias continuam com esperanças e encontrar membros, mas reuniões são raras. Diversos anúncios de reencontros nos últimos anos eram falsos.

Notícias relacionadas