Comício de ex-jogador de críquete e líder de oposição atrai dezenas de milhares no Paquistão

Imran Khan durante comício neste domingo em Karachi (AFP/Getty) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Segundo correspondentes, Khan ainda precisa esclarecer quais são suas políticas

Dezenas de milhares de pessoas se reuniram neste domingo em Karachi, no sul do Paquistão, para o comício do ex-jogador de críquete que entrou para a polícia, Imran Khan.

Khan já está na política paquistanesa há vários anos e lidera a oposição com o Moivmento pela Justiça, no entanto, ele tem conseguido cada vez mais apoio recentemente.

Correspondentes afirmam que o ex-jogador de críquete está aproveitando a onda de decepção que se espalha principalmente na classe média urbana do país.

Segundo o correspondente da BBC no comício, Aleem Maqbool, o participantes levaram cartazes, faixas e usaram camisetas com a palavra "esperança", que lembrava a campanha presidencial que levou o presidente americano, Barack Obama, à vitória.

"Estou muito otimista, Imran Khan tem o poder para trazer a mudança que precisamos tanto, pois nosso país não pode sobreviver sem uma liderança justa", disse à BBC um partidário de Khan. "Não importa se ele é um jogador de críquete ou qualquer outra coisa. O que quer que ele seja, ele não é um diplomata, não é um mentiroso."

A próxima eleição geral no Paquistão deve ocorrer em 2013.

Partidos

Apesar do sucesso do último comício neste domingo, o correspondente da BBC em Karachi afirma que Khan ainda precisa trabalhar muito para esclarecer exatamente qual é a sua política e se ele realmente tem a habilidade necessária para liderar o Paquistão.

Os dois partidos principais do país, o PPP e o PML-N ainda são muito fortes.

Mas, uma política que Imran Khan e o Movimento Pela Justiça já esclareceram é que eles são contra os ataques de aeronaves não tripuladas dos Estados Unidos contra militantes que estão dentro do território paquistanês.

Khan também afirma que a ajuda estrangeira está aumentando a corrupção no país e deve ser suspensa.

Recentemente, o Movimento pela Justiça ganhou a adesão de políticos de destaque no país, como Shah Mahmood Qureshi, do PPP, e Javed Hashmi do PML-N.

E, em um comício em outubro em Lahore, dezenas de milhares de pessoas também compareceram.

Notícias relacionadas