Após avanços, governo 'mudou de atitude' sobre Amazônia, diz 'NYT'

Amazônia Direito de imagem BBC World Service
Image caption Jornal diz que Brasil avançou no combate ao desmatamento nos últimos anos

Uma reportagem publicada na edição desta quarta-feira pelo jornal americano New York Times afirma que o Brasil teve "grandes avanços" nos últimos anos no combate ao desmatamento da Amazônia, mas que recentemente há sinais de uma "mudança de atitude" do governo.

"Desde que a presidente Dilma Rousseff foi eleita presidente, no final de 2010, há sinais de uma mudança na atitude do governo em relação à Amazônia", diz a reportagem assinada pelo jornalista Alexei Barrionuevo.

O texto do New York Times – intitulado "No Brasil, temores de uma recaída na proteção da Amazônia" – cita como exemplo a medida provisória 558/12, que altera os limites de alguns parques nacionais na Amazônia.

"O governo está dando mais flexibilidade para grandes projetos de infraestrutura durante o processo de licenciamento ambiental. E uma proposta daria ao Congresso do Brasil o poder de veto sobre o reconhecimento de territórios indígenas", escreve o jornalista.

A reportagem afirma que o debate sobre novo Código Florestal, que substitui o antigo, elaborado há 47 anos, está se tornando "o teste mais sério da posição de Rousseff sobre o meio ambiente".

"O debate sobre a lei revelou uma forte diferença entre uma população que está cada vez mais a favor de preservar a Amazônia e um Congresso no qual interesses agrícolas no Norte e Nordeste do país ainda têm influência", escreve o repórter do New York Times.

A reportagem diz que Dilma tem, até o momento, se mostrado "pró-desenvolvimento", o que segundo ambientalistas "alterou o equilíbrio em relação à administração do presidente anterior, Luiz Inácio Lula da Silva".

O jornal reconhece que, apesar das preocupações dos ambientalistas, "não há como negar que o desmatamento no Brasil, provocado em grande escala pela pecuária, está com tendência de queda".

Notícias relacionadas