Ataques contra diplomatas aumentam tensão entre Israel e Irã

BBC Direito de imagem b
Image caption Israel responsabiliza Teerã por atentado cometido na Índia; embaixador iraniano nega

O governo de Israel responsabilizou o Irã por um atentado cometido nesta segunda-feira contra funcionários da diplomacia israelense na Índia, além de outro ataque frustrado na Geórgia, em um episódio que aumenta a tensão entre os dois países.

Uma explosão ocorrida em Délhi feriu um diplomata de Israel, além de outras três pessoas. Testemunhas disseram a uma TV local que um motociclista colocou o explosivo sobre o carro da embaixada quando ele estava parado no trânsito.

Já uma bomba foi encontrada sob o carro de um diplomata na capital da Geórgia, Tbilisi, e foi desativada.

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, afirmou em uma reunião de parlamentares de seu partido, o Likud, que os atentados foram cometidos contra "civis inocentes", tendo a participação de Teerã.

"O Irã está por trás destes ataques, e (o país) é o maior exportador de terrorismo no mundo", afirmou o premiê.

Netanyahu disse ainda que o Irã estava por trás de planos recentes de atacar alvos israelenses na Tailândia e no Azerbaijão, que acabaram sendo desbaratados, e insinuou que o movimento militante islâmico Hezbollah também estava envolvido nos atentados.

No entanto, o embaixador do Irã na Índia, Mahdi Nabizadeh, negou que seu país esteja por trás do ataque realizado no país.

De acordo com a agência estatal iraniana Irna, o embaixador disse que o Irã condena atos terroristas, e classificou as acusações de Israel de "mentiras".

O Ministério de Relações Exteriores de Israel afirma que o país tem a capacidade de encontrar os responsáveis pelos atentados.

Programa nuclear

O correspondente da BBC em Jerusalém Rupert Wingfield-Hayes afirma que a segurança nas embaixadas de Israel foi intensificada nos últimos meses, depois de alertas de possíveis ataques.

Wingfield-Hayes diz que a medida foi tomada devido a acusações feitas pelo Irã de que Israel estaria atacando seus cientistas nucleares.

O programa nuclear iraniano é foco de preocupação entre Israel e países ocidentais, e fez com que o país fosse recentemente alvo de novas sanções dos Estados Unidos e da Europa.

Nesse sábado, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse que anunciará nos próximos dias "grandes" avanços nucleares do país.

Teerã afirmou por repetidas vezes que seu programa de enriquecimento de urânio tem fins pacíficos, apesar de temores de que ele leve o país a obter a bomba atômica.

Esquadrão antibombas

Depois da explosão em Délhi, a TV indiana exibiu imagens de um carro em chamas perto da embaixada. Um vídeo posterior mostra o carro queimado, como fogo já extinto.

A área em torno do veículo foi isolada, enquanto peritos e o esquadrão antibombas examinavam os destroços.

A embaixada possui diversos níveis de segurança e fica em uma área bem protegida da cidade, perto da residência oficial do primeiro-ministro indiano, Mahmohan Singh.

O porta-voz da embaixada israelense em Délhi, David Goldfarb, disse que o carro do diplomata estava próximo do prédio da representação quando a explosão ocorreu. Ele não deu detalhes sobre quem está por trás do atentado.

Na Geórgia, autoridades disseram que o artefato que acabou desativado foi conectado ao fundo do carro de um diplomata em Tbilisi.

Notícias relacionadas