Helicóptero leva alimentos para navio de cruzeiro à deriva no Índico

Costa Allegra é visto perto da ilha Desroches (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Navio, da mesma operadora do Costa Concordia, perdeu energia após incêndio em gerador

Um helicóptero decolou na manhã desta terça-feira da ilha de Mahè, em Seicheles, para levar mantimentos e equipamentos de comunicação para o navio de cruzeiro Costa Allegra, que está à deriva no Oceano Índico com mais de mil passageiros.

Um incêndio no gerador do navio na segunda-feira levou à perda total de energia pela embarcação.

Segundo a empresa Costa Crociere, operadora do navio, ele está sendo rebocado por uma traineira francesa para a ilha Desroches, também em Seicheles, onde deve chegar nesta quarta-feira.

A operadora é a mesma do navio Costa Concordia, que naufragou na costa italiana em janeiro, provocando a morte de 32 pessoas.

Segundo a correspondente da BBC em Seicheles Katy Watson, os passageiros do Costa Allegra devem ser levados na quarta-feira ao único hotel de Desroches e de lá transferidos para Mahè.

A transferência, porém, poderá levar bastante tempo, já que o aeroporto local em Desroches tem capacidade apenas para aviões de pequeno porte, capazes de levar no máximo 20 passageiros por vez.

Piratas

Segundo a guarda costeira italiana, o Costa Allegra está sem ar-condicionado, a cozinha não funciona e o gerador de emergência para o rádio de bordo poderia perder sua capacidade a qualquer momento.

A empresa operadora do cruzeiro afirmou que o navio, que está a cerca de 32 quilômetros da ilha de Alphonse, está em uma condição estável e segura, e nenhum passageiro está ferido.

A Costa disse já ter contactado dois terços das famílias dos passageiros e afirmou ter colocado um telefone de emergência para contatos.

O navio está em um local considerado perigoso por conta da atuação de piratas somalis.

Mas uma porta-voz do governo de Seicheles afirmou à BBC que os ataques a embarcações na região caíram no ano passado e que a segurança aumentou.

O navio conta com nove guardas armados a bordo, e outros seguranças estariam na traineira francesa. Um avião do governo de Seicheles também estaria fazendo sobrevôos para patrulha aérea.

Os piratas da região nunca atacaram um navio de cruzeiro.

O Costa Allegra, que havia saído de Madagascar com direção a Seicheles no sábado, tem 636 passageiros e 413 funcionários a bordo.

A chegada a Seicheles estava prevista inicialmente para a terça-feira. O itinerário do cruzeiro incluía também Alexandria, no Egito, e Nápoles, na Itália.

Notícias relacionadas