Tiranossauro teve mordida mais potente de todas as criaturas, diz estudo

Esqueleto de tiranossauro (Getty Images) Direito de imagem Getty
Image caption Impacto da mordida seria equivalente ao impacto de um elefante (foto: Getty Images)

O tiranossauro teve a mordida mais poderosa entre todas as criaturas que já habitaram a Terra, dizem cientistas.

Estimativas anteriores a respeito da mordida deste predador pré-histórico indicavam que ela era muito mais modesta, se comparada com predadores modernos, como os jacarés.

Esta medição, baseada em um escaneamento a laser da mandíbula de um Tyrannosaurus rex, mostrou que a sua mordida era equivalente a 3 toneladas - equivalente ao peso de um elefante.

As descobertas foram publicadas na revista científica Biology Letters. A pesquisa foi coordenada por Karl Bates, do Laboratório de Biomecânica da Universidade de Liverpool, na Grã-Bretanha.

Bates, junto de seu colega Peter Falkingham, da Universidade de Manchester, usou uma cópia em tamanho real do esqueleto de um tiranossauro exibido no Museu de Manchester como modelo de estudo.

"Nós digitalizamos o crânio com um scanner a laser, então obtivemos um modelo 3D do crânio em nosso computador", afirmou Bates.

"Com isso, nós pudemos mapear os músculos sobre aquele crânio", explicou.

Os cientistas então reproduziram a força plena de uma mordida ao ativar os músculos para contrair totalmente, fechando as mandíbulas digitais.

"Aqueles músculos (simulados) fecharam a mandíbula como eles fariam na vida real e (...) nós medimos a força quando os dentes se encontraram", disse Bates à BBC.

"As forças máximas que nós encontramos - nos dentes de trás - ficaram entre 30.000 e 60.000 newtons", afirmou. "Isto equivale a um elefante de tamanho médio sentando em você."

Estudos anteriores estimavam que a mordida do Tyranossaurus rex tinha uma força entre 8.000 e 13.000 newtons.

Mordida de bebê

Os pesquisadores descobriram como a força da mordida do tiranossauro mudava à medida que ele crescia.

"Obviamente, com a sua cabeça ficando muito maior, há um aumento esperado na força da mordida associado a isso", afirma Bates.

Mas para o tiranossauro, a força por trás de sua mordida aumentava desproporcionalmente, muito mais do que seria esperado de um "aumento linear contínuo", segundo o cientista.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Impacto da mordida seria equivalente ao impacto de um elefante (foto: Karl Bates)

Isto sugere que a dieta do predador mudava enquanto ele envelhecia, e que talvez somente os tiranossauros adultos pudessem morder através da dura pele de outro dinossauro.

"Eu acho que todos esperavam que o tiranossauro tivesse uma grande força na mordida, mas ela é ainda maior do que esperávamos", disse à BBC o especialista Bill Sellers, que estuda as capacidades físicas de animais vivos e extintos na Universidade de Manchester.

"E ela fica maior à medida em que ele cresce, o que é surpreendente", afirmou.

Sellers explicou que estudar os dinossauros lançou uma luz sobre os limites do que os seres vivos são capazes.

"Estes animais são extremos, um dos maiores carnívoros que já viveram", disse. "Então isso diz muito sobre as limitações da biologia. Nós queremos saber como os organismos funcionam, mas os organismos vivos (hoje) são muito menores. E, em termos de mecânica, o tamanho é muito importante."

O crânio do tiranossauro media cerca de 1,5 metro de comprimento e era equilibrado pela longa e pesada cauda do animal. Segundo cientistas, esses poderosos carnívoros podem ter se alimentado uns dos outros, assim como de outros dinossauros.

Notícias relacionadas