Americano e nigeriana disputam presidência do Banco Mundial

Jim Yong Kim Direito de imagem Reuters
Image caption Indicado por Obama, Kim é um nome respeitado na área de saúde global

Dois candidatos disputam a presidência do Banco Mundial, o americano de origem sul-coreana Jim Yong Kim, indicado pelos Estados Unidos, e a ministra de Finanças da Nigéria, Ngozi Okonjo-Iweala, apoiada por três países africanos.

Desde sua fundação, em 1944, o Banco Mundial é tradicionalmente presidido por um americano – enquanto o comando do FMI fica a cargo de um europeu.

No entanto, nos últimos anos, países emergentes vêm pressionando por uma mudança nessa tradição.

O presidente do Banco Mundial é escolhido por 25 representantes dos países-membros. O objetivo é que a escolha seja por consenso, mas quando isso não ocorre, uma maioria simples basta.

Como os Estados Unidos detêm 16% do poder de voto (medido de acordo com a contribuição financeira de cada país), e a União Europeia outros 29%, analistas consideram muito difícil vencer o candidato americano.

O escolhido irá substituir Robert Zoellick, que anunciou em fevereiro sua intenção de deixar o cargo, ocupado por ele desde 2007.

Jim Yong Kim

A indicação de Jim Yong Kim, anunciada nesta sexta-feira pelo presidente Barack Obama, foi recebida com surpresa, depois de vários dias de rumores sobre possíveis economistas.

Aos 52 anos, Kim é médico por formação e um nome respeitado na área de saúde global.

Nascido em Seul, mudou-se para os EUA com a família aos cinco anos de idade e cresceu no Estado de Iowa. É casado e tem dois filhos.

Direito de imagem Reuters
Image caption Ngozi Okonjo-Iweala é apoiada por África do Sul, Angola e Nigéria

Kim dirigiu o departamento de HIV/Aids da OMS (Organização Mundial da Saúde) e foi um dos fundadores da organização Partners in Health (Parceiro da Saúde, em inglês). Desde 2009, preside o prestigioso Dartmouth College.

Ao anunciar seu nome, Obama disse que a experiência pessoal de Kim o torna o candidato ideal para o cargo.

"Jim passou mais de duas décadas trabalhando para melhorar as condições nos países em desenvolvimento ao redor do mundo", disse Obama, ao anunciar seu nome.

"O Banco Mundial é uma das ferramentas mais poderosas que nós temos para reduzir a pobreza e elevar o padrão de vida ao redor do globo, e a experiência pessoal de Jim e seus anos de serviço fazem dele o candidato ideal para este cargo", afirmou o presidente.

Ngozi Okonjo-Iweala

A ministra de Finanças da Nigéria, Ngozi Okonjo-Iweala, tem o apoio de três países africanos: África do Sul, Angola e Nigéria.

Até o ano passado ela era diretora do Banco Mundial, cargo para o qual foi indicada por Zoellick. Deixou o banco para assumir o ministério.

Este é seu segundo mandato como ministra das Finanças. Anteriormente, ela já havia ocupado o cargo no governo do presidente Olusegun Obasanjo.

Okonjo-Iweala tem 57 anos, é casada e tem quatro filhos.

Ela estudou estudou na Universidade Harvard, nos Estados Unidos, e tem um PhD em desenvolvimento e economia regional pelo MIT.

Notícias relacionadas