Londres 2012: ONG acusa distritos olímpicos de expulsar prostitutas da região

Prostitutas Direito de imagem PA
Image caption Número de prisões desde o início de 2012 já teria ultrapassado o total em todo o ano passado

Uma Organização Não Governamental britânica acusou nesta semana as autoridades no leste de Londres de aumentar a repressão à prostituição de rua na região, que vai abrigar a maior parte das competições dos Jogos Olímpicos deste ano, entre julho e agosto.

Segundo a ONG Toynbee Hall, que tem um projeto para proteger mulheres em condições vulneráveis, o número de prisões de prostitutas em alguns distritos do leste de Londres desde o começo deste ano já ultrapassa o total de prisões em todo o ano passado.

A ONG afirma que a repressão policial às prostitutas deixa as mulheres "vulneráveis à criminalidade".

"Estamos preocupados com o fato de que, com as preparações para a Olimpíada, níveis maiores de imposição da lei e novas condições para fiança impostas a mulheres as deixou mais vulneráveis ao crime e à violência", afirma Miriam Merkova, diretora da ONG.

A Polícia Metropolitana de Londres negou que haja uma tentativa de retirar as prostitutas da região antes da Olimpíada e afirmou que agiu "em resposta a preocupações da comunidade".

Riscos

A Toynbee Hall afirma temer que as condições para fiança impostas às prostitutas presas, com a proibição de voltar à região e a obrigação de cumprir com um toque de recolher, levaria as mulheres a correr mais riscos para evitar novas prisões.

Em um dos distritos do leste de Londres, Tower Hamlets, onde está parte do Parque Olímpico, 48 prostitutas teriam sido detidas desde o início do ano, contra 44 em todo o ano passado.

No distrito vizinho de Newham, onde está parte dos locais de competições, 80 bordéis teriam sido fechados nos últimos 18 meses, segundo um relatório publicado pela prefeitura.

"Sabemos que há uma concentração de atividade policial nos distritos olímpicos... especialmente a linha agressiva adotada para fechar os bordéis em Newham", afirma Andrew Boff, membro da Assembleia de Londres e autor do relatório.

"Eu temo que a maneira como os bordéis estão sendo policiados em Londres atualmente está na verdade impedindo as mulheres de buscar ajuda", diz.

'Sem conexão com os Jogos'

A Polícia Metropolitana afirmou, em um comunicado, que "a polícia em Tower Hamlets, a autoridade local e organizações não governamentais vêm trabalhando juntos nos últimos 12 meses, sem conexão com os Jogos, para responder a questões específicas da comunidade local que estão ligadas à prostituição de rua e comportamento antissocial relacionado".

O comunicado afirma ainda que o distrito de Newham adotou, em dezembro de 2011, "um novo modelo de policiamento local, no qual os moradores têm um papel mais ativo em direcionar onde a polícia concentra sua atividade, além de um aumento no número de policiais disponíveis para responder à direção da comunidade local".

A corporação afirmou ainda que está "observando de perto" os distritos olímpicos para evitar o tráfico de pessoas.

Notícias relacionadas