Brasil negocia vinda do MIT ao país

DIlma cumprimenta a presidente do MIT, Susan Hockfield. | Foto: AFP Direito de imagem AFP
Image caption Durante a visita, Dilma fechou acordos de cooperação entre o MIT e o ITA

O governo brasileiro e o Massachusetts Institute of Technology (MIT), umas das mais respeitadas instituições de pesquisa e inovação dos Estados Unidos, estão em negociação para uma parceria entre a instituição americana e o ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) no Brasil.

Nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff visitou a sede do MIT, na cidade de Cambridge, próxima a Boston, e participou da assinatura de dois acordos de cooperação entre a Escola de Engenharia do MIT e o ITA, que tem sede em São José dos Campos, São Paulo.

O anúncio da parceria foi marcado por uma série de informações desencontradas divulgadas pelo governo e pelo MIT.

O ministro da Educação, Aloízio Mercadante, que participa da comitiva brasileira em visita aos EUA, chegou a dizer que o MIT abriria uma escola no país. No entanto, a instituição americana afirmou que apenas negocia uma parceria com o ITA.

Após a negativa, Mercadante afirmou que o projeto de criação de um centro de pesquisas do MIT no Brasil partiu do pró-reitor do instituto, Rafael Reif.

"Nós vamos estabelecer agora o processo de construção desse centro", disse o ministro.

Os termos do primeiro acordo de intenções ainda serão concluídos nos próximos meses, mas devem envolver o intercâmbio de estudantes, professores e pesquisadores, pesquisas conjuntas e o desenvolvimento de novos programas educacionais.

Já o segundo convênio envolve a concessão de 50 bolsas para doutores brasileiros estudarem no MIT.

Parceria

No segundo dia de sua visita oficial aos Estados Unidos, a presidente Dilma Rousseff prioriza uma agenda voltada principalmente para os temas de educação, tecnologia e inovação, com especial atenção à divulgação do programa Ciência sem Fronteiras, que prevê a concessão de 100 mil bolsas de estudo para brasileiros no exterior.

Em um discurso na sede do MIT, Dilma voltou a citar uma "parceria para o século 21" entre Brasil e Estados Unidos.

"Acredito que a parceria que nós temos para o século 21 está baseada no conhecimento. Este século é o século em que o conhecimento e a capacidade de cada uma das pessoas importará na construção de um mundo mais rico, mas também um mundo mais pacífico", disse.

Na manhã desta terça-feira, Dilma visitou o Media Lab do MIT, laboratório reúne artistas, engenheiros e cientistas que usam abordagens pouco ortodoxas para desenvolver projetos em áreas como neuroengenharia, aprendizado e desenvolvimento de veículos.

A presidente também participou de uma mesa-redonda com cientistas e pesquisadores na sede do instituto.

Segundo a direção da instituição, há um total de 58 estudantes brasileiros atualmente no MIT, sendo 10 de graduação, 40 de de pós-graduação e oito visitantes. Há também sete brasileiros em programas de pós-doutorado e três professores do Brasil.

Ainda nesta terça-feira, Dilma visita a Universidade de Harvard, onde faz um discurso.

Notícias relacionadas