François Hollande é o mais votado no primeiro turno na França

François Hollande a Nicolas Sarkozy Direito de imagem AP
Image caption Salários, pensões, impostos e desemprego são as principais preocupações dos eleitores

O socialista François Hollande conquistou a maioria dos votos no primeiro turnos das eleições presidenciais na França, segundo estimativas divulgadas logo após o fim da votação.

Segundo as projeções, Hollande recebeu 28%, à frente do presidente Nicolas Sarkozy, de centro-direita, que ficou com cerca 26%.

Os dois deverão se enfrentar no segundo turno, marcado para 6 de maio. Segundo pesquisas, Hollande é o favorito e ganharia com facilidade o segundo turno.

Pouco depois da divulgação dos resultados deste domingo, Hollande comemorou com um discurso e disse que é o candidato mais bem colocado para para ser o próximo presidente da França e que Sarkozy foi punido pelos eleitores.

Direito de imagem AFP
Image caption Segundo pesquisas, Hollande é o favorito para vencer o segundo turno, em 6 de maio

Esta é a primeira vez desde 1958 que um presidente francês concorrendo à reeleição não consegue vencer o primeiro turno.

Sarkozy, que ocupa a Presidência desde 2007 e conduziu sua campanha sob o slogan de que só ele é capaz de preservar a "França forte", disse que entende a "angústia" dos franceses em um mundo em rápida mudança.

O presidente convidou o adversário para três debates nas próximas duas semanas até o segundo turno, onde os dois discutiriam economia, questões sociais e relações internacionais. Hollande, porém, rejeitou a ideia, e disse que um único debate, como é tradição, seria o suficiente.

Crise e desemprego

O primeiro turno foi disputado por dez candidatos. Os resultados iniciais indicam que a líder de extrema direita Marine Le Pen, da Frente Nacional, ficou em terceiro lugar, com cerca de 19% dos votos, a melhor performance da história do partido.

A candidata disse que o resultado é "apenas o começo" e que seu partido é agora "a única oposição" à esquerda.

Cerca de 80% dos eleitores franceses compareceram às urnas neste domingo, em uma eleição marcada pela forte preocupação com a crise na zona do euro e com o desemprego provocado por ela

Direito de imagem AFP
Image caption O presidente Nicolas Sarkozy disse que entende a 'angústia' dos franceses

Salários, pensões, impostos e desemprego são apontados como as principais preocupações dos eleitores franceses na atual votação.

E, na opinião de parte dos cidadãos, os candidatos falharam em apresentar soluções concretas para esses problemas, numa campanha de pouco brilho.

As frustrações com o estilo mais exibicionista de Sarkozy e com a imagem apagada de Hollande também favoreceram o crescimento de candidatos radicais.

Marine Le Pen, de extrema direita, deu fôlego à plataforma anti-imigração de seu partido, a Frente Nacional.

No outro lado do espectro político, Jean-Luc Mélenchon, apoiado pelo Partido Comunista, ganhou adeptos entre os eleitores de extrema esquerda, e ficou com quase 12% dos votos.

O centrista François Bayrou se postula pela terceira vez. Em 2007, ele ficou em terceiro lugar, com quase 19% dos votos. Nesta eleição, porém, conquistou apenas cerca de 9%.

Notícias relacionadas