Londres 2012: Jogos não estão imunes a ataques cibernéticos, diz governo

Centro de Operações Tecnológicas da Olimpíada, na Grã-Bretanha. | Foto: BBC
Image caption Pequim teve 12 milhões de ciberataques durante a Olimpíada

Os Jogos Olímpicos de Londres 2012 "não estarão imunes" a ataques cibernéticos, alertou o chefe de gabinete do governo britânico, Francis Maude.

Maude afirmou que ataques "buscariam interromper os Jogos" e lembrou que a Olimpíada de Pequim, em 2008, registrou 12 milhões de incidentes ligados a cibersegurança.

"Estamos preparando há algum tempo uma unidade especial que ajudará a proteger a Olimpíada de Londres contra ciberataques. Estamos determinados a ter Jogos seguros", disse.

Maude, que é responsável pela Secretaria de Cibersegurança da Grã-Bretanha, fez os comentários durante uma visita à Estônia, país considerado pioneiro na área.

"As redes do governo britânico continuam a ser regularmente alvejadas por agências de inteligência estrangeiras ou grupos trabalhando para elas. E sabemos que a ameaça está aumentando."

'Rápida e flexível'

O político britânico disse ainda que "soluções de cibersegurança de ponta que foram utilizadas há 18 meses por um número limitado de organizações para proteger suas redes já podem estar no mercado aberto - dando aos cibercriminosos o conhecimento necessário para contornar estas medidas de proteção".

"Nossas respostas devem ser rápidas e flexíveis. O que funciona um dia provavelmente não funcionará em questão de meses ou até semanas depois", diz.

No ano passado, o governo anunciou uma equipe dedicada a proteger os Jogos de Londres contra ciberataques.

Diversos cenários de possíveis problemas estão sendo testados em sistemas de computadores durante este mês, mas os dirigentes das Olimpíadas dizem não ter conhecimento de nenhuma ameaça específica.

Maude afirmou que apesar dos riscos, o governo iria "resistir à tentação de controlar e regular excessivamente" a internet.

Em abril, o governo foi duramente criticado por planos de aumentar a vigilância online.

Notícias relacionadas