Governo fecha acordo com hotéis para redução de preços na Rio+20

Rio de Janeiro (Foto: AP) Direito de imagem AP
Image caption Medida deverá reduzir valores de hospedagem no Rio em entre 25% e 60%

O governo brasileiro anunciou nesta quarta-feira um acordo para reduzir as tarifas de hotéis no Rio durante a Rio+20, a conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável que será realizada na cidade entre 13 a 22 de junho.

Segundo o governo, a medida deverá reduzir os preços de hospedagem em entre 25% e 60%.

O acordo foi fruto de uma negociação entre a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio (ABIH-RJ), a Terramar, agência operadora da Rio+20, e representantes de redes hoteleiras que atuam na cidade.

Em nota divulgada à imprensa, o governo diz que a decisão de intermediar as negociações foi tomada após a divulgação "dos altos valores cobrados e também das exigências da compra de pacotes fechados, com número mínimo de diárias".

Uma comissão formada pelo presidente da Embratur, Flavio Dino, o secretário-executivo do Ministério do Turismo, Valdir Simão, e o secretário de Direito Econômico do Ministério da Justiça, Vinícius Marques de Carvalho, foi estabelecida para acompanhar o cumprimento do acordo.

Mudanças

Os preços altos cobrados por hotéis durante a Rio+20 e a política de vender pacotes fechados para o período do evento fizeram com que algumas delegações estrangeiras decidissem reduzir o número de representantes enviados ao Brasil.

A delegação do Parlamento europeu chegou a citar especificamente os altos preços de hospedagem na cidade como um dos motivos pelos quais decidiu não comparecer ao evento.

Com o acordo, fica determinado o fim das comissões cobradas pela operadora sobre as diárias das comitivas. A partir de agora, a remuneração será feita pelos hotéis, sem ônus aos hóspedes.

A expectativa é de que essa medida, aliada a descontos concedidos por alguns hotéis, reduza o valor das diárias entre 25% e 35%.

O acordo prevê ainda o fim da obrigatoriedade da compra de pacotes fechados com um número mínimo de diárias, o que prejudicava os participantes que ficariam poucos dias na cidade. Com isso, espera-se que os custos de hospedagem caiam entre 30% e 40%.

"Somadas, as medidas podem superar 60% de desconto em relação aos valores anteriormente praticados", diz a nota do governo.

De acordo com o governo, delegações que já pagaram as diárias terão o valor excedente devolvido, assim como participantes que compraram pacotes fechados com um número de dias superior ao que pretendem permanecer na cidade.

Notícias relacionadas