Mulher é presa por insultos racistas a passageiros no metrô de Londres

Jacqueline Woodhouse/BBC Direito de imagem BBC World Service
Image caption Jacqueline foi condenada a 21 semanas de prisão

Uma passageira do metrô de Londres foi condenada a 21 semanas de prisão após admitir ter feito insultos racistas a outros passageiros.

Durante pelo menos sete minutos, Jacqueline Woodhouse, de 42 anos, moradora do bairro de Romford, no leste de Londres, agrediu verbalmente e ameaçou passageiros que viajavam com ela no vagão.

O incidente, ocorrido no dia 23 de janeiro, foi filmado por uma câmera de celular e colocado no site de vídeos YouTube.

Além das 21 semanas de prisão, Woodhouse também recebeu uma sentença que restringe seus movimentos na cidade.

Em uma outra audiência, no início do mês, Woodhouse já havia admitido ter praticado intimidação intencional agravada por racismo.

O Incidente

Ao entrar no vagão do metrô, Woodhouse tropeçou em uma mulher negra chamada Judy Russell. Imediatamente, começou a insultar a passageira, gritando: "Vocês africanos pegam nossas habitações populares".

O autor do vídeo, Galbant Juttla, é visto no filme dizendo a Woodhouse que fique de boca fechada porque tinha bebido demais.

"Esse não é seu país, então, qual é o seu problema?", ela respondeu. "Pessoas como você tomaram conta (do país)".

Aos outros passageiros que viajavam no trem lotado, ela disse: "Vou prender vocês porque não moram aqui", e "espero que não estejam recebendo benefícios (ajuda financeira do governo).

O vídeo foi visto mais de 200 mil vezes.

Woodhouse se entregou à polícia, dizendo aos policiais que não se lembrava dos comentários, mas que reconhecia a si mesma no vídeo.

Lição

Explicando sua decisão de colocar o vídeo no YouTube, Galbant Juttla disse:

"Coloquei (as imagens) no YouTube porque achei que seria a forma mais rápida de pegar essa pessoa".

"Também precisava mostrar ao público o tipo de pessoa que existe por aí e (incentivar o público) a não tolerar esse tipo de comportamento".

"Meus filhos viram o vídeo e ficaram horrorizados".

Ao anunciar a sentença, o juiz, Michael Snow, disse que a ideia de que cidadãos britânicos possam ser submetidos a esse tipo de comportamento causa vergonha.

Para o juiz, qualquer pessoa que assista ao vídeo pode, como consequência, "acreditar que ele representa, secretamente, as opiniões de outros brancos" .

"O trem estava lotado com pessoas de várias etnias", disse. "Incluindo crianças".

Woodhouse servirá a metade de sua pena na prisão. Ela também foi proibida, durante os próximos cinco anos, de andar de metrô ou na linha ferroviária Docklands Light Railway - quando estiver bêbada.

Notícias relacionadas