Tropas da Síria usam crianças como 'escudos humanos', diz ONU

Crianças participam de protesto contra o governo do presidente Bashar al Assad na cidade síria de Kafranbel Direito de imagem Reuters
Image caption Crianças sírias relatam ter sido alvo de torturas

Tropas do governo sírio estariam usando crianças como escudos humanos para evitar ataques de rebeldes, segundo um recém-divulgado relatório da ONU.

O documento cita relatos de crianças que contam ter sido forçadas a andar em tanques para impedir ataques por parte de combatentes de oposição. Muitas delas dizem ter sido colocadas intencionalmente em linhas de tiro para impedir disparos por parte de dissidentes.

Entre os relatos estão testemunhos sobre um ataque contra a vila de Ayn l'Arouz, em 9 de março de 2012, em que crianças foram retiradas de suas casas ''e usadas por soldados e milícias como escudos humanos, tendo sido colocadas na janela de ônibus conduzindo militares".

Segundo a Representante da ONU para Crianças e Conflitos Armados, Radhika Coomaraswamy, crianças também estão sendo torturadas em prisões e assassinadas em massacres.

O documento traz ainda relatos de crianças que teriam sido espancadas, tiveram os olhos vendados, foram submetidas a posições estressantes, açoitadas com cabos elétricos e queimadas com cigarro. Uma criança diz ter sido submetida a choques elétricos durante um interrogatório.

Sem precedentes

A representante da ONU contou à BBC ter regressado da Síria com relatos ''horrendos''.

''Muitos ex-soldados contaram ter atirado contra áreas civis, tendo visto crianças, crianças pequenas, sendo mortas e mutiladas'', disse a representante da ONU.

''Nós também recebemos testemunhos e vimos crianças que foram torturadas e que carregam as marcas da tortura com elas. Nós também ouvimos relatos de crianças estarem acostumadas, como nos relataram, em ser colocadas em tanques e usadas como escudos humanos, para que não se pudesse disparar contra os tanques.''

Mas a representante da ONU também criticou ações do rebelde Exército Livre da Síria que estariam colocando crianças em perigo.

''Nós ouvimos pela primeira vez que crianças estão sendo recrutadas pelo Exército Livre da Síria predominantemente em trabalhos médicos e em serviços, mas ainda assim elas têm atuado na linha de frente'', afirmou.

''Nós ficamos realmente chocados. Matar e mutilar crianças em meio ao fogo cruzado é algo que vemos em diversos conflitos, mas torturar crianças presas, algumas com até 10 anos de idade, é algo bastante incomum, que nós não costumamos ver em outros lugares'', comentou a representante da ONU.