Em estádio vazio, Brasil abre Londres 2012 com show de 'reserva de luxo' no futebol feminino

Seleção brasileira de futebol feminino (Foto: Reuters) Direito de imagem Reuters
Image caption Com goleada, seleção bateu equipe de Camarões e deu início à disputa pelo inédito ouro olímpico

Os Jogos Olímpicos de Londres 2012 começaram nesta quarta-feira com uma vitória fácil da seleção brasileira sobre a equipe de Camarões no futebol feminino.

Com gols de Francielle, Renata Costa, Cristiane e dois de Marta, o Brasil bateu a fraca seleção camaronesa e deu início à disputa pelo inédito ouro olímpico. Havia grande expectativa em relação à estreia de Marta – eleita cinco vezes a melhor jogadora do mundo – mas quem roubou a cena foi a atacante Cristiane, que só entrou no segundo tempo da partida.

O jogo do Brasil aconteceu no estádio Millennium, de Cardiff, onde poucas horas antes a Grã-Bretanha havia derrotado a Nova Zelândia no primeiro evento esportivo das Olimpíadas.

Além da estreia do futebol feminino, os jogos desta quarta-feira foram o primeiro teste da estrutura olímpica que a Grã-Bretanha passou os últimos sete anos montando para as Olimpíadas.

Confirmando os temores dos organizadores, as quatro seleções jogaram diante de um fraco público, já que o futebol foi um dos torneios com menor procura de ingressos em todos os Jogos, sobretudo o torneio feminino.

Estádio vazio

Os torneios de futebol feminino e masculino começam antes da abertura oficial das Olimpíadas – que será na sexta-feira – pois a competição exige um calendário maior do que os 16 dias dos Jogos.

O Millennium, usado principalmente para jogos de rugby no País de Gales, tem capacidade para 74 mil pessoas, mas o estádio não chegou a ter nem um terço da sua lotação.

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

O jogo entre Grã-Bretanha e Nova Zelândia teve público de 24,5 mil pessoas. O público que assistiu a essa partida tinha direito de ficar no estádio para assistir Brasil x Camarões, mas a grande maioria foi embora logo depois do jogo.

O público oficial das duas partidas em conjunto foi de 30.847, mas em nenhum momento todas essas pessoas estiveram juntas no estádio.

Como resultado, o Brasil acabou jogando diante de um estádio praticamente vazio.

Reserva de luxo

Alheia ao que acontecia fora de campo, a seleção brasileira teve uma estreia arrasadora no torneio, com goleada sobre a Camarões, que fez sua estreia na modalidade feminina.

O técnico Jorge Barcellos surpreendeu ao não escalar Cristiane, optando pela jovem Thais Guedes. Cristiane vinha sendo poupada na fase de preparação para os Jogos, devido a uma lesão, mas Barcellos disse em Cardiff que a opção por Thais foi por motivos técnicos, e não físicos.

Sem Cristiane, o Brasil começou sob pressão, com três escanteios consecutivos para Camarões nos três primeiros minutos. Seis minutos depois, em uma falha de posicionamento da goleira camaronesa Ngo Ndom, a meia Francielle abriu o placar em cobrança de falta.

Camarões sequer teve tempo para se recuperar, e três minutos depois Renata Costa – uma das jogadoras mais altas da seleção - fez o segundo gol brasileiro de cabeça, em cobrança de escanteio, aproveitando outra falha de marcação da defesa camaronesa.

Os dois gols esfriaram todos os ímpetos de Camarões, e fizeram com que o Brasil pudesse tocar bola com maior facilidade.

No segundo tempo, Cristiane finalmente entrou, e o Brasil deu espetáculo, apresentando suas credenciais de favorita no torneio. Aos 26 minutos, Marta fez o terceiro gol brasileiro de pênalti.

Aos 34 minutos, a veterana Formiga – única brasileira a jogar todos os torneios olímpicos femininos já disputados – fez um longo lançamento a Marta, que rolou para Cristiane. A atacante driblou a goleira e fez o gol.

Nos minutos finais, Cristiane fez uma linda jogada pela esquerda, driblando diversas zagueiras, e tocou para Marta, sozinha, concluir a goleada brasileira.

Diferença

Ao final da partida, Barcellos admitiu que Cristiane respondeu em campo e fez a diferença no segundo tempo.

Após o jogo, Marta elogiou o desempenho de Thais, mas admitiu que prefere jogar ao lado de Cristiane, sua companheira de longa data.

"Ela estava jogando aos poucos. A Cristiane não começou jogando hoje, mas tem possibilidade de ser titular, como em outras competições. Nós nos damos muito bem e nos conhecemos bastantes. Às vezes, só ao olhar uma para a outra, dá para sabermos o que a outra está pensando e para onde vai correr", disse Marta.

"E hoje funcionou. Em dois, três lances conseguimos fazer os gols. A Thais ainda está pegando o ritmo, é uma menina nova. A Cris pensa um pouco mais rápido, e acho que o entrosamento também ajuda bastante."

Brasil e Grã-Bretanha têm três pontos no seu grupo. Uma vitória do Brasil no sábado contra a Nova Zelândia praticamente garante a vaga para as quartas-de-final do torneio olímpico.

Notícias relacionadas