Atletas que 'jogaram para perder' para evitar adversário mais forte são desclassificadas

Jogadoras chinesas | Foto: AFP Direito de imagem AFP
Image caption Jogadoras chinesas desqualificadas; atletas da Coreia do Sul e Indonésia também foram eliminadas

A Federação Mundial de Badminton desqualificou nesta quarta-feira quatro duplas femininas - duas da Coreia do Sul, as outras da China e da Indonésia -, por terem cometido erros "básicos" propositais com o objetivo de perder suas partidas para evitar adversários mais fortes na próxima rodada dos Jogos Olímpicos de Londres.

A entidade justificou as punições ao argumentar que as atletas "não fizeram todos os esforços para vencer" e se "comportaram de uma maneira claramente abusiva ou prejudicial ao esporte" nos seus certames de terça-feira.

Outras equipes indicaram que a introdução de um novo sistema de eliminatórias, em que perder uma das etapas pode colocar uma dupla em uma posição mais fácil na etapa seguinte, teria estimulado a prática entre as duplas.

Na primeira partida de duplas femininas na Wembley Arena na terça à noite, entra as chinesas Yu Yang e Wang Xiaoli contra as sul-coreanas Jung Kyung-eun e Kim Ha-na, o público passou a vaiar as jogadoras, nitidamente empenhadas em perder a partida, apesar de várias advertências do juiz copntra o comportamento das jogadoras.

As duas duplas sabiam que a vencedora enfrentaria as chinesas Tian Quing e Zhao Yunlei, tidas como uma das duplas mais fortes dos Jogos.

Mais tarde, no jogo entre outra dupla sul-coreana e uma dupla da Indonésia, o comportamento das jogadores foi semelhante.

Após a decisão, o técnico da Coreia do Sul, Sung Han-kook culpou as atletas da China.

"As chinesas começaram com isso. Elas fizeram primeiro. É complicada essa questão das eliminatórias. Elas não queriam se enfrentar nas semifinais, elas não querem que isso aconteça", disse.

Gail Emms, ganhadora de medalha de prata de badminton para a Grã-Bretanha em 2004, criticou o comportamento das duplas.

"Estou furiosa. É algo muito constrangedor para o nosso esporte. Estamos nas Olimpíadas. Isso não é aceitável. O público pagou um bom dinheiro para assistir essas duas partidas".

De acordo com a agência estatal chinesa, Xinhua, a delegação do país deu início a uma investigação e medidas mais drásticas podem ser tomadas.