Londres 2012: Americanos são obstáculo para dobradinha do Brasil na natação

Nadadores Bruno Fratus (acima) e César Cielo (foto: Reuters) Direito de imagem Reuters
Image caption Nadadores brasileiros Bruno Fratus (acima) e César Cielo competem nos 50 metros livre

A equipe brasileira de natação conseguiu concretizar uma de suas metas nesta quinta-feira ao classificar dois nadadores para a final dos 50 metros livre, nos Jogos de Londres 2012. A final será disputada na sexta-feira, às 16h09 (horário de Brasília).

Desde o começo do ano, Cesar Cielo e Bruno Fratus trabalhavam para conseguir subir ao pódio na prova mais rápida da natação, na qual Cielo é o atual campeão olímpico e recordista mundial. Na sexta-feira, eles disputarão o ouro um contra o outro.

Nesta quinta-feira, Cielo fez o melhor tempo da semifinal – 21s54 – empatado com o americano Cullen Jones. Bruno Fratus ficou em quarto, a nove centésimos dos líderes e a um centésimo do terceiro colocado – o também americano Anthony Ervin.

"A coisa mais importante não é que cheguei em primeiro, mas sim que fiz um bom tempo", disse Cielo, sobre a semifinal.

Quatro anos depois de seu ouro em Pequim 2008 – o primeiro da história da natação brasileira – Cielo ainda domina os 50 metros livre. Mas os americanos são a maior ameaça ao domínio do nadador paulista.

Jones e Ervin são, respectivamente, os donos da segunda e da terceira melhor marca do ano, ambas obtidas na mesma competição nos Estados Unidos em junho deste ano. Seus tempos são três décimos mais lentos do que os 21s38 obtidos por Cielo em abril.

O veterano Ervin, de 31 anos, foi medalhista de ouro nos 50 metros livre em Sydney 2000, mas abandonou a natação aos 22 anos. No último ano, ele voltou a treinar e em junho conseguiu se classificar para sua primeira olimpíada em 12 anos.

Já Cullen Jones, como Cielo, também competiu nos 100 metros e 50 metros livre. Na semifinal dos 100 metros, ele acabou em 14º lugar e não chegou à final (onde o brasileiro terminou em 6º). O americano recebeu o consolo de Ryan Lochte, um de seus melhores amigos e a sensação da natação masculina em Londres 2012 até agora.

O outro brasileiro classificado para a final dos 50 metros, Bruno Fratus, tem a quinta melhor marca do ano, e sonha em fazer dobradinha com Cielo no pódio na sexta-feira. Na semifinal, ele parecia estar perdendo terreno em sua bateria, mas acabou a semifinal em primeiro lugar e quarto na classificação geral da prova.

Direito de imagem Reuters
Image caption Os nadadores Fratus e Cielo tentarão ganhar medalhas na competição dos 50 metros livre

"É sempre assim que eu nado. Eu sempre dependo de uma boa chegada. Estou muito satisfeito com o tempo. Vai ser uma corrida bastante apertada amanhã. Vai ser por questões de centésimos", disse Fratus.

Além dos americanos e dos brasileiros, a final dos 50 metros livre também terá George Bovell, de Trinidad e Tobago, Florent Manaudou, da França, Eamon Sullivan, da Austrália, e Roland Schoeman, da África do Sul. O australiano James Magnussen, dono da sexta melhor marca do ano, ficou em 11º e não conseguiu se classificar.

Phelps e Thiago Pereira

Outros dois americanos foram obstáculos no caminho de uma medalha brasileira nesta quinta-feira. Michael Phelps e Ryan Lochte fizeram dobradinha no pódio dos 200 metros medley individual, com o húngaro Laszlo Cseh em terceiro.

A prova é a especialidade de Thiago Pereira, que no sábado havia batido Phelps e conquistado a prata nos 400 metros medley, mas o brasileiro só conseguiu ficar em quarto lugar – a mesma posição obtida em Pequim 2008.

"Fiz meu melhor tempo depois da era do traje [tecnológico, um maiô desenvolvido com auda da Nasa que ajudava no desempenho dos atletas] e estou satisfeito com todos os resultados que tive nestas Olimpíadas. Não tem como não estar, depois da minha primeira medalha. Um grande sonho foi realizado aqui. Eu fiz o melhor que podia fazer, não tinha mais de onde tirar", disse Pereira, que chegou a virar os últimos 50 metros em segundo lugar, mas acabou ultrapassado por Lochte e Cseh.

O brasileiro de 26 anos disse que competirá nas Olimpíadas de 2016.

Com o ouro na prova, Michael Phelps conquistou a 16ª medalha de ouro de sua carreira, aumentando ainda mais seu recorde de mais premiado atleta olímpico da história.

Notícias relacionadas