Ataque a templo nos EUA deixa ao menos 7 mortos

Policiais da Swat cercam templo Sikh (foto: Darren Hauck/Getty Images) Direito de imagem Getty
Image caption Policiais de elite da Swat cercam templo Sikh nos Estados Unidos; polícia não confirma reféns

Sete pessoas morreram em um tiroteio ocorrido na manhã de domingo no templo Sikh de Oak Creek, no Estado de Wisconsin, nos Estados Unidos.

Entre os mortos está o atirador responsável pelo ataque. Sua identidade e a motivação do crime não haviam sido divulgados por autoridades americanas até a noite deste domingo.

É a segunda vez em menos de um mês que civis americanos são vítimas de atiradores. Em 20 de julho um ex-estudante de medicina entrou em um cinema durante a exibição do filme "Batman" e assassinou 12 pessoas.

Segundo Bradley Wentlandt, chefe da polícia de Greenfield, a polícia recebeu diversos telefonemas de emergência por volta de 10h25 (10h25 em Brasília).

Diversas unidades da polícia foram então enviadas ao local. O primeiro policial a chegar sofreu uma emboscada montada pelo atirador, sendo baleado diversas vezes. Um segundo policial revidou o fogo e matou o criminoso.

Testemunhas disseram que havia mais um atirador envolvido, que teria feito reféns dentro do templo. Porém, a polícia cercou o local com equipes da Swat (a polícia de elite dos EUA) e mais tarde afirmou que o atirador agiu sozinho.

Wentlant afirmou que a polícia identificou quatro pessoas mortas dentro do templo e três do lado de fora - incluindo o atirador atingido pela polícia. Ao menos três sacerdotes teriam sido baleados.

Três pessoas foram levadas em estado grave para um hospital, entre elas o policial vítima da emboscada.

Obama

O chefe da polícia e Oak Creek, John Edwards, disse que o caso está sendo tratado como "um incidente de terrosismo doméstico". A investigação ficará a cargo do FBI, a polícia federal americana.

O presidente americano Barack Obama afirmou ter ficado "profundamente entristecido".

"Enquanto lamentamos essa perda que ocorreu em um local de oração, somos lembrados da riqueza que os Sikhs trouxeram a este país e que eles são parte da grande família americana", disse Obama.

Os Sikh são uma corrente religiosa-filosófica surgida na Índia, que conta com milhares de seguidores pelo mundo. Nos EUA, possuem uma comunidade de 250 mil a 500 mil pessoas. Com seus turbantes, costumam ser confundidos pelos americanos com muçulmanos.

O templo de Oak Creek, uma cidade de 30 mil habitantes, congrega uma comunidade de 400 Sikhs. O atentado ocorreu no horário das orações, quando o edifício estava lotado

"Muitos feridos"

Direito de imagem AP
Image caption Familiar de vítimas de tiroteio faz oração em estacionamento; área foi isolada pela polícia

Parminder Kaleka, que estava esperando do lado de fora do templo, disse ao periódico Milwaukee-Wisconsin Journal Sentinel que telefonou para seu cunhado - que, segundo ela, é o sacerdote do templo e estaria dentro do edifício. A ligação teria ocorrido na hora do tiroteio.

"Ele me disse que 25 ou mais pessoas foram baleadas. Na hora ele não sabia se elas estavam vivas ou mortas, então muitas pessoas foram feridas", afirmou.

Ela disse ainda ter ouvido o momento em que seu cunhado teria sido também atingido por tiros. Testemunhas disseram mais tarde que crianças chegaram a ser escondidas pelos pais dentro de armários.

"Essa é uma grande tragédia para nossa igreja". Ela disse ainda que todos sempre se sentiram seguros no local.

O atirador foi descrito por testemunhas como um homem branco, mas a informação não foi confirmada pela polícia.

Notícias relacionadas