Assad diz que vitória é questão de tempo e rejeita esquema de proteção a civis na Síria

Atualizado em  29 de agosto, 2012 - 14:23 (Brasília) 17:23 GMT
Assad

Assad disse que seu governo caminha para a vitória em um conflito 'internacionalizado'

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, disse que seu governo precisa de mais tempo para derrotar militarmente a oposição e rejeitou a proposta de criar uma área de proteção para civis dentro do país.

Em entrevista ao canal de TV pró-governo al-Dunya, Assad disse que seu governo enfrenta uma batalha "tanto regionalmente como internacionalmente".

"É preciso certamente mais tempo para que cheguemos ao fim. Mas posso resumir em uma frase: estamos avançando", disse ele.

"A situação no campo de batalha é melhor agora, mas não é ainda conclusiva. Necessitamos de mais tempo."

Assad disse que as forças de segurança "fazem um trabalho heróico em todos os sentidos".

"Todos se preocupam com seu país, isso é normal. Mas (os rebeldes) não vão conseguir espalhar o medo", afirmou.

O presidente ridicularizou ex-integrantes do governo que desertaram afirmando que a saída deles representaria "um processo de limpeza, primeiro do governo, depois do país em geral".

Refúgio

Assad disse que estava sendo entrevistado no palácio presidencial de Damasco, respondendo a boatos sobre sua localização surgidos após o ataque de julho que matou quatro altos integrantes de seu governo.

Ele rejeitou uma proposta para que pessoas obrigadas a deixar suas casas por causa do conflito no país pudessem buscar refúgio em uma área a ser criada dentro da Síria.

Em entrevista à um canal de TV pró-governamental, Assad disse que a proposta defendida pela vizinha Turquia e outros países ocidentais seria pouco realista e viria de "inimigos da Síria".

A proposta foi rejeitada também esta semana pelo ministro das relações Exteriores da França por dificuldades de logística.

A correspondente da BBC na capital do Líbano, Beirute, Barbara Plett disse que as declarações de Assad têm o objetivo de preparar a população para um conflito longo.

Também nesta quarta-feira, ativistas de oposição dizem que o governo lançou ofensivas em varias partes do país, com relatos de pesados bombardeios em Damasco, Aleppo (Halab) e na província de Idlib.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.