Artista canadense esculpe paisagens em livros

Atualizado em  13 de setembro, 2012 - 07:48 (Brasília) 10:48 GMT
  • Foto: Guy Laramée
    O artista canadense Guy Laramée esculpe paisagens em livros, em trabalhos sobre a natureza do conhecimento humano. Acima, um dicionário Larousse Methodique esculpido para o projeto A grande muralha. Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    Aos 55 anos, ele já desenvolveu trabalhos de composição musical, criação e construção de instrumentos musicais, cenografia, pintura, literatura e direção de curta-metragens. Acima, caverna esculpida na Bíblia do teólogo John Brown. O trabalho foi inspirado no romance "A Caverna", de José Saramago. Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    De acordo com Laramée, suas esculturas em livros pretendem mostrar que "o conhecimento último pode muito bem ser uma erosão e não uma acumulação". A escultura "Grande Onda" (foto) faz parte do projeto Guan Yin, inspirado pelo tsunami que tingiu o Japão em 2011. Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    "Culturas emergem, se tornam obsoletas, e são substituídas por outras. Com o desaparecimento das culturas, algumas pessoas são deslocadas e destruídas", diz o autor. Acima, livro esculpido para o projeto A grande muralha, que trata de um futuro imaginário em que o "império chinês", segundo o autor, terá derrotado o "império americano". Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    O autor diz acreditar que a "obsessão" humana por "mudar as formas pelas quais acessamos a cultura" é uma demonstração de fascinação pelo conteúdo da consciência. Na imagem, o livro Ryoanji, esculpido como parte do projeto A grande muralha. Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    Mas em suas esculturas, o canadense diz que pretende examinar "não só o que pensamos, mas o fato de pensarmos". Na imagem, um dicionário tibetano-chinês alterado, parte do projeto Guan Yin. Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    "Montanhas de conhecimentos não utilizados voltam a ser o que são realmente: montanhas", diz ele. Dicionários esculpidos (acima) fazem parte do projeto "O amor pelas montanhas nos curará". Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    "Pilhas de enciclopédias obsoletas voltas a ser aquilo que não precisa dizer nada, que simplesmente é". Na foto acima, uma escultura do projeto Guan Yin. Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    Romances, obras filosóficas e pinturas românticas são algumas das inspirações mais frequentes para os projetos temáticos de Laramée. Acima, caverna esculpida na Bíblia do teólogo John Brown. Foto: Guy Laramée
  • Foto: Guy Laramée
    De acordo com o artista, o principal tema de toda a sua obra é "a erosão de culturas". Ele também desenvolveu trabalhos de antropologia na África e na Amazônia peruana. Na imagem, livro esculpido como parte do projeto Guan Yin. Foto: Guy Laramée

Montanhas de conhecimento

O artista canadense Guy Laramée esculpe paisagens em livros, como forma de explorar a 'erosão de culturas'.

Aos 55 anos, ele já desenvolveu projetos de composição musical, criação e construção de instrumentos musicais, cenografia, pintura, literatura e direção de curta-metragens.

Ele também desenvolveu trabalhos de antropologia na África e na Amazônia peruana e diz que o principal tema de toda a sua obra é "a erosão de culturas".

De acordo com Laramée, suas esculturas em livros pretendem mostrar que "o conhecimento último pode muito bem ser uma erosão e não uma acumulação".

"Culturas emergem, se tornam obsoletas, e são substituídas por outras. Com o desaparecimento das culturas, algumas pessoas são deslocadas e destruídas", diz o autor.

O autor diz acreditar que a "obsessão" humana por "mudar as formas pelas quais acessamos a cultura" é uma demonstração de "fascinação pelo conteúdo da consciência".

Mas em suas esculturas, ele afirma que pretende examinar "não só o que pensamos, mas o fato de pensarmos".

"Montanhas de conhecimentos não utilizados voltam a ser o que realmente são: montanhas. Elas ficam um pouco mais erodidas e se tornam montes. Então elas se aplanam e se tornam campos onde, aparentemente, nada está acontecendo", explica.

Romances, obras filosóficas e pinturas românticas são algumas das inspirações mais frequentes para os projetos temáticos de Laramée.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.