Fotógrafo desafia noção de beleza simétrica com rostos espelhados

Atualizado em  25 de outubro, 2012 - 06:05 (Brasília) 08:05 GMT

Projeto testa teoria da beleza em rostos simétricos

  • Foto: Julian Wolkenstein
    Estudos científicos identificam a simetria dos rostos como um dos requisitos para a noção de beleza. Para testar a afirmação, o fotógrafo australiano Julian Wolkenstein produziu uma série de imagens nas quais os rostos de modelos eram espelhados, formando faces perfeitamente simétricas. Foto: Julian Wolkenstein
  • Foto: Julian Wolkenstein
    Para realizar as imagens, ele pedia que os modelos ficassem na mesma posição e sem demonstrar emoção. Ao espelhar os dois lados da foto, o resultado final eram duas imagens bastante distintas uma da outra – e não necessariamente mais bela que a original. Foto: Julian Wolkenstein
  • Foto: Julian Wolkenstein
    Segundo Wolkenstein, a ideia nasceu quase por acaso. “Queria fazer uma série de retratos de pessoas com rostos que seriam usados como ingredientes para várias ideias que eu queria testar abstraindo rostos, mudando, misturando e recombinando feições faciais”, contou ele à BBC Brasil. Foto: Julian Wolkenstein
  • Foto: Julian Wolkenstein
    As fotos não têm nenhum retoque, segundo o fotógrafo, além de terem sido cortadas ao meio, com cada metade colada à sua imagem espelhada. O projeto foi batizado de ‘Echoism’, que segundo o artista se refere à simetria facial em seu sentido fisionômico. Foto: Julian Wolkenstein
  • Foto: Julian Wolkenstein
    O sucesso do projeto levou Wolkenstein a expandir sua ideia, com a criação de um app para smartphone e um programa para computadores para permitir que o público faça autorretratos espelhados. Foto: Julian Wolkenstein
  • Foto: Julian Wolkenstein
    Os resultados podem ser vistos no site www.echoism.org, que compila centenas de imagens semelhantes enviadas pelos usuários dos aplicativos de Wolkenstein. Foto: Julian Wolkenstein
  • Foto: Julian Wolkenstein
    Segundo ele, mais de 50 mil imagens já foram postadas no site. “Há tantas que eu tive que arquivar parte delas para garantir que o site continuasse a funcionar bem”, diz. “Tem sido um sucesso total.” Foto: Julian Wolkenstein

Echoism

Estudos científicos identificam a simetria dos rostos como um dos requisitos para a noção de beleza. Para testar a afirmação, o fotógrafo australiano Julian Wolkenstein produziu uma série de imagens nas quais os rostos de modelos eram espelhados, formando rostos perfeitamente simétricos.

Para realizar as imagens, ele pedia que os modelos ficassem na mesma posição e sem demonstrar emoção. Ao espelhar os dois lados da foto, o resultado final eram duas imagens bastante distintas uma da outra – e não necessariamente mais belas que a original.

Segundo Wolkenstein, a ideia nasceu quase por acaso.. "Queria fazer uma série de retratos de pessoas com rostos que seriam usados como ingredientes para várias ideias que eu queria testar abstraindo rostos, mudando, misturando e recombinando feições faciais", contou ele à BBC Brasil.

As fotos não têm nenhum retoque, segundo o fotógrafo, além de terem sido cortadas ao meio, com cada metade colada com sua imagem espelhada. O projeto foi batizado de "Echoism", que segundo o artista se refere à simetria facial em seu sentido fisionômico.

O sucesso do projeto levou Wolkenstein a expandir sua ideia, com a criação de um app para smartphone e um programa para computadores para permitir que o público faça autorretratos espelhados.

Os resultados podem ser vistos no site www.echoism.org, que compila centenas de imagens semelhantes enviadas pelos usuários dos aplicativos de Wolkenstein.

Segundo ele, mais de 50 mil imagens já foram postadas no site. "Há tantas que eu tive que arquivar parte delas para garantir que o site continuasse a funcionar bem", diz. "Tem sido um sucesso total."

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.