Aposta política do presidente do Egito pode gerar luta sectária

Atualizado em  24 de novembro, 2012 - 22:42 (Brasília) 00:42 GMT
Manifestantes na praça Tahrir, no Cairo (foto: Reuters)

Manifestantes protestam na praça Tahrir contra decisão do presidente Mursi de aumentar seu poder


A decisão do presidente egípcio Muhammad Mursi de assumir novos poderes é uma grande aposta política que tem dividido o Egito.

A medida foi anunciada no dia seguinte ao início do cessar-fogo em Gaza, cuja negociação foi intermediada pelo líder egípcio.

Incentivado pelo prestígio internacional lucrado com o acordo, o presidente Mursi tentou consolidar seu poder em casa.

Mas, ele pode ser acusado de excesso de confiança, ou ingenuidade política.

O presidente disse estar agindo para proteger a revolução.

Especificamente, ele desejava evitar que a Justiça dissolvesse, pela segunda vez, a Assembleia Constituinte que prepara a nova Constituição do país.

Houve relatos de que os tribunais estavam, de fato, prestes a fazer isso.

A dissolução poderia atrapalhar seriamente o processo de transição democrática, atrasando ainda mais as novas eleições parlamentares - o que pode impedir os líderes polítcos egípcios de tomar decisões difíceis enquanto aguardam a formação do Parlamento.

Fúria

Muitos dos atuais juízes foram nomeados durante o governo do ex-presidente Hosni Mubarak. As indicações não eram feitas diretamente pelo Executivo, mas muitos egípcios suspeitam que eles ainda sejam leais ao antigo regime.

O mesmo raciocínio se aplica ao procurador geral - que Mursi acaba de destituir.

Seu substituto agiu rapidamente para reabrir as investigações criminais sobre o ex-mandatário, seus familiares e funcionários do antigo regime.

Uma série de julgamentos sobre corrupção, e a respeito de assassinatos cometidos durante a revolução, resultou até agora apenas em resultados dúbios. Isso levantou questionamentos sobre a lealdade do procurador-geral, embora o próprio Mubarak esteja cumprindo uma longa pena de prisão.

Divisões amargas

Presidente egípcio Muhammad Mursi

O presidente egípcio Muhammad Mursi fala com a população no Egito

O presidente Mursi terá o apoio de muitos egípcios nesses dois pontos. Mas é a forma como as ações foram tomadas que está despertando tanta fúria.

Mursi falhou em consultar outras forças políticas, agindo de uma forma autocrática que lembra o governo de seu antecessor.

Na verdade, ele se deu mais poder do que Mubarak jamais teve - sem quase nenhuma restrição.

Sua tentativa de marginalizar o Judiciário faz lembrar o início da chegada ao poder do movimento dos Oficiais Livres, que derrubou a monarquia na década de 1950. O episódio foi o início do período que atualmente começa a ser descrito como as seis décadas de ditadura militar no Egito.

Como resultado, muitos egípcios começam a acreditar que a agenda real do governo não é proteger a revolução, mas aumentar o poder do presidente Mursi e da Irmandade Muçulmana, o movimento islâmico que o lançou.

Também estão sendo feitas acusações de que o objetivo subjacente de Mursi é permitir que a Assembleia Constituinte - atualmente dominada por políticos islâmicos - escreva uma Constituição de orientação islâmica para o país.

É por isso que as ações do presidente Mursi produziram tão amargas, e potencialmente perigosas, divisões no Egito.

As ações do governo e os protestos de segmentos da população podem transformar a questão em uma batalha, que terá muçulmanos de um lado e liberais, defensores do secularismo e cristãos do outro. Há portanto temores de que o processo se transforme em uma luta sectária.

Tais temores podem ser exagerados. Mas não há dúvidas de que esse é um momento importante para o Egito.

Todas essas questões são uma luta titânica para determinar a direção que seguirá no futuro um país que frequentemente traça o caminho do Oriente Médio.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.