Grupo islâmico somali diz ter executado espião francês

Atualizado em  17 de janeiro, 2013 - 09:38 (Brasília) 11:38 GMT
O espião francês Dennis Allex, em seu cativeiro (AP)

Militantes disseram que responsabilidade sobre morte de francês recai sobre autoridades da França

O grupo militante islâmico somali Al-Shabab disse ter executado o agente do serviço de inteligência francês Dennis Allex, que havia sido sequestrado pelo grupo em julho de 2009.

Segundo representantes da organização fundamentalista islâmica, a morte de Allex foi em retaliação a uma recente operação militar realizada pela França para tentar libertá-lo.

O governo francês disse acreditar que Allex foi morto durante a operação, no final da semana passada. A ação, segundo a França, teria resultado na morte de dois soldados franceses e 17 combatentes do Al-Shabab. Mas há relatos sobre a morte de civis nos combates.

O grupo Al-Shabab, que é ligado à rede Al-Qaeda, afirmou em uma conta de Twitter que Allex foi morto na última quarta-feira.

A entidade fundamentalista islâmica havia ameaçado matar Allex anteriormente e responsabilizou a França por sua morte, devido à tentativa de resgate.

Na sexta-feira, cerca de 50 soldados de uma tropa de elite francesa lançaram um ataque de helicóptero contra a cidade de Bulo Marer, reduto do Al-Shabab em que os franceses acreditavam que Allex se encontrava.

Combates intensos

A organização fundamentalista disse que Allex não estava em Bulo Marer no momento do ataque militar francês, que segundo testemunhas, teria sido intenso e durado cerca de uma hora.

Há informações de que vários civis foram mortos durante a operação. A ação militar foi lançada após o fracasso de várias negociações para obter a libertação de Allex.

O governo da Somália disse não ter sido informado sobre a operação antecipadamente e lamentou a perda de vidas civis.

Na segunda-feira, o Al-Shabab publicou a fotografia de um soldado francês que o grupo disse ter sido morto a tiros após ter sido capturado nos combates.

A Somália não conta com um governo central efetivo há mais de duas décadas.

A França mantém uma grande base militar no país vizinho Djibouti, com a presença de unidades do Exército, Marinha e Força Aérea.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.