Exposição reúne esculturas e instalações de luz artificial

Atualizado em  31 de janeiro, 2013 - 08:07 (Brasília) 10:07 GMT

Exibição mostra esculturas e instalações de luz artificial

  • Uma mulher vê o trabalho "Chromosaturation", do artista venezuelano Carlos Cruz-Diez.
    A exposição "Light Show" ("Show de luz", em tradução livre), na Hayward Gallery, em Londres, reúne instalações e esculturas de artistas que manipulam e experimentam com a natureza da luz artificial. Acima, uma mulher vê o trabalho "Cromosaturação", do artista venezuelano Carlos Cruz-Diez.
  • As obras "Cylinder", de Leo Villareal (adiante) e "Magic Hour", de David Batchelor (fundo).
    Sombras que mudam de forma, colunas pulsantes e quartos de cores brilhantes hipnotizam os visitantes. Na foto, as obras "Cilindro", de Leo Villareal (adiante) e "Hora mágica", de David Batchelor (fundo).
  • Casal olha a instalação de Ann Veronica Janssen.
    A exposição tem 25 trabalhos de artistas internacionais desde os anos 60 até o presente, incluindo Dan Flavin, Nancy Holt, Doug Wheeler, Olaf Eliasson e Ann Veronica Janssen, que criou a instalação acima.
  • Instalação "Exploded View (Commuters), de Jim Campbell.
    Muitos dos trabalhos foram feitos com tecnologias de ponta para iluminação. Em seu trabalho "Vista explodida (Deslocamentos)" (foto), o artista americano Jim Campbell usou mil lâmpadas de LED controladas por circuitos eletrônicos customizados, tudo suspenso em uma rede de fios presa ao teto.
  • Mulher observa instalação "Burden (Lotte World Tower)", de Ivan Navarro.
    O artista chileno Ivan Navarro usa neon e espelhos para alterar a perspectiva e a percepção, criando uma ilusão de espaço infinito em trabalhos como "Fardo (Lotte World Tower)".
  • Mulher interage com a instalação "You and I, Horizontal", de Anthony McCall.
    O trabalho "Eu e você, horizontal", de Anthony McCall's, é uma das instações ambientais imersivas da exposição. Usando um projetor de vídeo, uma máquina de neblina e linguagem de códigos de computador como meio, o trabalho é uma grande escultura feita de luz com a qual os visitantes podem interagir ao se moverem.
  • Mulher observa trabalho "Untitled (to the innovator of Wheeling Peachblow)".
    "Nenhum artista foi mais pioneiro ou influente em seu uso da luz do que Dan Flavin", disse a Hayward Gallery. Nas esculturas fluorescentes minimalistas chamadas de "Sem título (para o inovador de Wheeling Peachblow)", Flavin combina luz do sol, tubos fluorescentes amarelos e cor-de-rosa para criar o que definiu como "mistura de cores de uma agradável ilusão".
  • Instalação "S=U=P=E=R=E=S=T=R=U=T=U=R=A", de Cerith Wyun Evans.
    A instalação "S=U=P=E=R=E=S=T=R=U=T=U=R=A" tem uma presença dominadora. As colunas feitas de faixas incandescentes obsoletas se acendem e diminuem a intensidade gerando calor intermitente. O autor, Cerith Wyn Evans, diz que "por causa do modo como são feitas para se comportarem, elas são relativamente invisíveis". "Elas estão em suspensão entre o céu e a terra", acrescenta.
  • A instalação "Slow Arc inside Cube IV", de Conrad Shawcross.
    A desorientação sensorial é enfatizada pela obra "Arco lento dentro de cubo IV", de Conrad Shawcross. Sombras que se movem constantemente são projetadas por uma lâmpada e um braço rotatório, que estão instalados dentro de um cubo de aço e alumínio. Eles aumentam e retrocedem, brincando com a percepção de espaço dos espectadores.
  • Instalação "Lâmpada para simular o luar", de Katie Peterson.
    A obra "Lâmpada para simular o luar" tenta recrear a luz da lua artificialmente. A artista escocesa Katie Paterson colabora com cientistas na produção do trabalho. O espectro de luz da lua cheia foi medido e a temperatura e amperagem (medida de eletricidade) foram convertidas e usadas em uma lâmpada de halogênio adaptada.
  • Trabalho "Lamentável", do artista francês François Morellet.
    Oito tubos de neon azuis são conectados por uma cortina de cabos que vai do teto ao chão no trabalho chamado "Lamentável", do artista francês François Morellet. O resultado, segundo ele, é que "o belo círculo fica pendurado de um jeito patético".
  • Visitantes observam instalações na exposição "Show de Luzes", em Londres.
    "Temos muitos trabalhos específicos para este local...os artistas e seus estúdios foram muito generosos trabalhando conosco, criando-os especificamente para o espaço da Hayward", disse o curador Cliff Lauson. A exposição acontece até 28 de abril de 2013. Todas as fotos de Emma Lynch/BBC.

Show de luz

A exposição Light Show ("Show de luz", em tradução livre), na Hayward Gallery, em Londres, reúne instalações e esculturas de artistas que manipulam e experimentam com a natureza da luz artificial.

A exposição tem 25 trabalhos de artistas internacionais desde os anos 1960 até o presente, incluindo Dan Flavin, Nancy Holt, Doug Wheeler, Olaf Eliasson e Ann Veronica Janssen.

Muitos dos trabalhos foram feitos com tecnologias de ponta para iluminação, como cortinas de cabos de força e lâmpadas ligadas por circuitos elétricos customizados.

A exposição fica em cartaz até o dia 28 de abril de 2013.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.