Ataque suicida na embaixada dos EUA na Turquia mata dois

Atualizado em  1 de fevereiro, 2013 - 16:56 (Brasília) 18:56 GMT
Ambulâncias no local do atentado em Ancara (AFP)

O último atentado registrado em Ancara havia sido em 2011

A embaixada dos Estados Unidos na capital da Turquia, Ancara, foi alvo nesta sexta-feira de um ataque suicida, que deixou ao menos dois mortos.

A explosão ocorreu em uma entrada lateral do edifício e fez com que destroços do prédio voassem por toda a área, que abriga outras missões diplomáticas.

Segundo autoridades turcas, um guarda da embaixada e o homem que estaria por trás do ataque morreram. Três feridos foram hospitalizados, um deles em estado grave.

Nenhum grupo assumiu a autoria da explosão, mas o ministro do Interior, Muammer Guler, disse que o homem-bomba era um militante extremista de esquerda.

Segundo Guler, o suicida provavelmente era turco e poderia ser membro do partido clandestino Partido-Frente da Liberação do Povo Revolucionário (DHKP-C), que é considerado uma organização terrorista pelos Estados Unidos e países europeus.

O DHKP-C, de orientação marxista, se opõe à interferência americana, à Otan e ao atual governo turco.

O grupo já foi considerado culpado por diversos ataques desde os anos 70, incluindo alguns contra missões diplomáticas americanas. Em janeiro, a polícia local prendeu diversos suspeitos de integrar o grupo.

Antecedentes

Tanto o governo turco quando o americano qualificaram o ataque de ato terrorista.

Nos últimos anos, uma série de militantes, que vão de separatistas curdos a ativistas islâmicos, realizaram ataques na Turquia, país que é membro da Otan.

A capital turca já foi alvo de atentados antes. Em 2007, uma explosão em um shopping center de Ancara matou nove pessoas e feriu outras 120.

O último atentado na cidade havia acontecido em setembro de 2011, quando uma bomba explodiu no centro de Ancara e deixou três mortos. A ação foi reivindicada por um grupo militante curdo.

Barricada

Segundo o jornalista Golnar Motevalli, que acompanhou em Ancara os acontecimentos, a polícia agiu rápido para montar uma barricada a poucos metros do local do atentado.

Além de sedes diplomáticas, o bairro em que a embaixada é situada abriga também várias residências de luxo, bem como lojas e restaurantes sofisticados.

O proprietário da agência de viagens Iran Air, situada em frente à embaixada, contou ter visto o corpo do autor do ataque ter sido colocado dentro de uma ambulância. A agência teve suas janelas destruídas pela explosão.

A equipe da embaixada americana foi transferida para um edifício seguro, dentro do complexo que abriga a representação diplomática.

O governo americano condenou veementemente o atentado. Um porta-voz do presidente, Barack Obama, disse que agentes americanos irão atuar juntos com as autoridades turcas para investigar o ocorrido.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.