cronologia dos fatos
Acompanhe: Morre Hugo Chávez na Venezuela

Atualizado em  6 de março, 2013 - 01:05 (Brasília) 04:05 GMT
Para ver as últimas atualizações, recarregue a página ou habilite o javascript
  1. O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou a morte do presidente Hugo Chávez.

  2. Maduro fez o anúncio no Hospital Militar de Caracas.

  3. Segundo Maduro, Chávez morreu às 16h25 (18h25 pelo horário de Brasília).

  4. Morre o presidente da Venezuela Hugo Chávez

    Líder venezuelano lutava contra infecção respiratória que o acometeu devido a tratamento contra câncer.
  5. Chávez, o militar que transformou a Venezuela

    Polarizando opiniões, mandatário foi visto como defensor dos pobres e inimigo da propriedade privada e da liberdade de imprensa.
  6. Ministro da Defesa se pronuncia

    O ministro da Defesa da Venezuela, General Diego Alfredo Molero Bellavia, acaba de dar uma entrevista coletiva para a imprensa. Ele disse: "Você pode contar conosco, os homens e mulheres das forças armadas do país, que irão assegurar juntos que a Constituição seja respeitada. Nos juntamos à nação em sua dor e mais uma vez pedimos unidade e paz entre todas as partes. Todos nós, a partir de agora, teremos uma missão e iremos garantir que pelo bem na nação ela seja cumprida. Vida longa a Chávez. Vida longa à revolução".

  7. Na Argentina, a presidente Cristina Kirchner, amiga pessoal de Chávez, suspende todas as atividades ao receber a notícia de sua morte. 

  8. Horas antes da morte de Chávez, o vice-presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou a expulsão do adido militar da Embaixada dos Estados Unidos em Caracas, David del Mónaco, alegando suspeitar que ele planejava angariar apoio dos militares para lançar um golpe no país. O diplomata tem 24 horas para deixar a Venezuela.

  9. A vida de Hugo Chávez em vídeo:

    02:29

    Protetor dos pobres ou líder autoritário?

    Veja como será lembrado o presidente que revolucionou a Venezuela
  10. De acordo com pesquisa divulgada pela empresa Hinterlaces ontem, um dia antes da morte de Chávez, 50% dos venezuelanos votariam em Maduro se as eleições fossem na segunda-feira, contra 36% dos eleitores que optariam pelo opositor Henrique Capriles.

  11. Perguntamos aos nossos leitores no Twitter: "Qual é, na sua opinião, a importância de Chávez para a América Latina?"

  12. Imprensa global destaca morte de Chávez.

    No New York Times: 'Morte de esquerdista aos 58 anos aprofunda crise em país dividido'.

    No The Guardian: 'Morte de Chávez traz chance de aproximação entre EUA e América Latina'

    No Financial Times: Líder anti-capitalista morre em decorrência de complicações pós-cirúrgicas.

    E no El País: Um caudilho avassalador e invencível

  13. O ex-presidente uruguaio Luis Alberto Lacalle (1990-1995), do Partido nacional, disse hoje que, com a morte de Hugo Chávez, se vai um "personagem singular da história a América ibérica", mas também um "um arquétipo de caudilho populista com sonhos de grandeza bolivariana cuja execução ficou no meio do caminho".

    Assim que recebeu a notícia, Lacalle disse à agência Efe que o julgamento sobre a importância de Chávez na Venezuela "só cabe aos venezuelanos", mas criticou sua política externa.

    "Emitimos juízos e condenamos sua interferência indevida e insolente, contrária a toda a política interna dos países da América Latina", disse.

  14. Em imagens: A trajetória de Hugo Chávez

    Com seu estilo polêmico e extravagante, Chávez transformou o rosto da política venezuelana e a dinâmica das relações latino-americanas.
  15. Presidência interina

    De acordo com a Constituição, o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello Rondo, assumirá a presidência interina antes das novas eleições. Chávez nomeou o vice-presidente Nicolás Maduro como seu herdeiro político. 

  16. Fogos em Caracas

    A reação à morte de Chávez em Caracas foi mista, de acordo com a correspondente da BBC Irene Caselli. Fogos de artifício foram detonados em celebração em um reduto antichavista da cidade, mas muitos partidários do presidente estão chorando e rezando no hospital onde ele estava internado.

  17. Declaração de Ban Ki-moon, na sede da ONU

    O secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, enviou suas "sentidas condolências" ao povo e ao governo da Venezuela depois de receber a notícia da morte do presidente venezuelano.

    "É a primeira notícia que tenho e, apesar de que irei fazer uma declaração formal mais adiante, quer enviar minhas sentidas condolências à família do presidente Chávez, assim como ao povo e ao governo da Venezuela", disse Ban à imprensa na sede das Nações Unidas.

  18. Nota de pesar do ex-presidente Lula

    "Foi com muita tristeza que recebi a notícia do falecimento do presidente Hugo Chávez. Tenho orgulho de ter convivido e trabalhado com ele pela integração da América Latina e por um mundo mais justo. Eu me solidarizo com o povo venezuelano, com os familiares e correligionários de Chávez, neste dia tão triste, mas tenho a confiança de que seu exemplo de amor à pátria e sua dedicação à causa dos menos favorecidos continuarão iluminando o futuro da Venezuela."

    Luiz Inácio Lula da Silva

  19. Comunicado do presidente dos EUA, Barack Obama

    "Neste momento desafiador da morte do presidente Hugo Chávez, os Estados Unidos reafirmam seu apoio ao povo venezuelano e seu interesse em desenvolver uma relação construtiva com o governo venezuelano. No momento em que a Venezuela começa um novo capítulo em sua história, os Estados Unidos permanecem comprometidos com as políticas que promovem os princípios democráticos, o estado de direito e o respeito aos direitos humanos."

  20. Minutos antes do anúncio da morte de Chávez, os Estados Unidos qualificaram de "absurdas" as acusações feitas pelo vice-presidente venezuelano Nicolás Maduro, segundo as quais o governo americano estaria envolvido no câncer do presidente.

    De acordo com o jornal venezuelano El Universal, o porta-voz do Departamento de Estado americano, Patrick Ventrell, divulgou um comunicado que dizia:

    "A afirmação de que os Estados Unido esteve envolvido de alguma maneira na causa da doença do presidente Chávez é absurda e a rejeitamos completamente. Apesar das diferenças significativas entre nossos governos, continuamos acreditando que é importante buscar uma relação funcional e produtiva com a Venezuela baseada em questões de interesse mútuo."

    Maduro acusou os "inimigos" de Chávez de terem responsabilidade pelo câncer que o vitimou em um pronunciamento ao gabinete transmitido ao vivo na televisão estatal.

    Ventrell disse que a afirmação contra o governo do americano é "falaz e inapropriada" e que, por causa dela, os Estados Unidos concluem que "a Venezuela não tem interesse em melhorar as relações".

  21. A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira que a morte do líder venezuelano Hugo Chávez deixará um vazio "na história e nas lutas" da América Latina.

    Morte deixa vazio na história do continente, diz Dilma

    Presidente diz que governo sempre reconheceu em Chávez 'uma grande liderança' e o teve como 'um amigo do Brasil e do povo brasileiro'.
  22. Foto: AP

    Partidários de Chávez choram em Caracas

  23. O ministro das Relações Exteriores britânico, William Hague, ofereceu suas condolências à família de Hugo Chávez e ao povo venezuelano.

    "Eu fiquei triste ao saber da morte do presidente Hugo Chávez hoje. Como presidente da Venezuela por 14 anos ele deixou uma impressão permanente no país e como um todo", disse, em comunicado.

  24. Foto: AP

    Partidários de Chávez reagem à notícia diante do Hospital Militar de Caracas

  25. O secretário geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, enviou suas condolências ao governo e ao povo da Venezuela.

    "É um momento de grande dor para os venezuelanos e os acompanhamos junto a todos os povos da região. Estamos certos de que os venezuelanos saberão unir-se em momentos tão difíceis como este e transitar em paz e democracia até o futuro."

    As bandeiras da OEA foram hasteadas a meio mastro. Será convocada uma sessão extraordinária do conselho permanente da organização em memória de Chávez.

  26. Vice de Chávez pode atenuar polarização na Venezuela

    Para analistas, vice-presidente Nicolás Maduro não desperta sentimentos extremos, como é o caso de Hugo Chávez.
  27. A presidente Dilma Rousseff cancelou a viagem que faria à Argentina na próxima quinta-feira após receber a notícia da morte de Hugo Chávez, segundo a Agência Brasil.

    Dilma iria a El Calafate para reuniões bilaterais com a presidenta argentina, Cristina Kirchner. O governo da Argentina também confirma o cancelamento das reuniões. Ambas devem comparecer ao funeral do líder venezuelano.

  28. O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, elogiou a contribuição de Chávez para as negociações de paz entre o governo colombiano e as Forças Revolucionárias Armadas da Colômbia (Farc).

    "O melhor tributo que podemos pagar à memória de Hugo Chávez é realizar o sonho que ele partilhou conosco - alcançar um acordo para pôr fim ao conflito e ver uma Colômbia pacífica. Ele disse que isso era o que Bolívar queria. Ele estava certo", disse.

  29. O jornalista Jon Lee Anderson, da revista americana The New Yorker, escreveu inúmeras vezes sobre a política venezuelana. Ele disse ao programa World Tonight, da BBC, que Hugo Chávez era um homem que prometeu a revolução, mas não conseguiu entregá-la.

    "Eu estive lá há alguns meses e concentrei minhas atenções dessa vez nos projetos não terminados de Chávez, que são muitos. Aí estava um homem com boas intenções, mas sem o aparato administrativo ou a expertise para realizá-las", disse Anderson, que também escreveu uma biografia do revolucionário Che Guevara.

  30. Antes de sua morte, Chávez pediu aos venezuelanos que votassem em Nicolás Maduro caso "algo" lhe acontecesse. Desde então, a popularidade de Maduro cresceu.

     

    indicado por Chávez como sucessor

    Presidente anunciou volta do câncer e indicou chanceler e vice-presidente como sucessor em caso de incapacidade.
  31. O vice-presidente Nicolás Maduro pediu que os venezuelanos se reúnam na Praça Bolívar, em Caracas, que tem o nome do herói da independência, Simon Bolívar.

  32. Partidários de Chávez estão se reunindo perto do palácio presidencial Miraflores em Caracas, alguns gritando: "Vida longa a Chávez! Vida longa ao chavismo".

    "Sinto uma dor tão grande que não consigo nem falar", disse Yamilina Barrios, de 39 anos, à agência Associated Press. "Ele era a melhor coisa que esse país já teve....eu o adoro. Vamos esperar que o país se acalme e que nós continuemos com as tarefas que ele nos deu."

  33. Um grupo de homens mascarados, alguns armados com pistolas, atacaram cerca de 40 estudantes que protestavam há mais de uma semana perto do Supremo Tribunal venezuelano, pedindo informações sobre a saúde do presidente.

    De acordo com a Associated Press, os homens queimaram as barracas dos estudantes e espalharam seus alimentos minutos depois que a morte de Chávez foi anunciada.

  34. Foto: Reuters

  35. Veja as reações internacionais à morte de Hugo Chávez

    Presidente venezuelano morreu nesta terça-feira em Caracas.
  36. O ministro das Relações Exteriores, Elias Jose Jaua Milano, diz que o país está em "total normalidade" após a morte de Chávez, segundo a agência de notícias Reuters.

    Jaua disse que o funeral de Chávez deve acontecer na sexta-feira e que sete dias de luto foram declarados. As escolas também devem ficar fechadas por sete dias.

    Jaua afirmou que uma procissão levará o corpo de Hugo Chávez para a Academia Militar em Caracas na quarta-feira. O corpo deve ser velado lá até a sexta-feira.

    O funeral oficial para os chefes de Estado, segundo Jaua, acontecerá na sexta-feira, às 10h horário local. O ministro pediu que os partidários de Chávez usem roupas com as três cores da bandeira venezuelana em homenagem ao líder.

  37. No Peru, o Congresso fez um minuto de silêncio em homenagem ao líder venezuelano. Os governos do Chile e do Equador também lançaram notas oficiais de condolências à Venezuela. O Equador disse ter sentido a perda como se fosse sua e afirmou esperar que o vizinhos possam continuar a revolução de Chávez.

  38. Depois de anunciar a morte de Hugo Chávez, o vice-presidente Nicolás Maduro pediu que os venezuelanos sejam "herdeiros dignos do homem gigante".

    "Que não exista fraqueza, nem violência. Que não exista ódio. Nos nossos corações deve existir somente um sentimento: amor. Amor, paz e disciplina."

  39. Foto: AFP

    Multidão se aglomera diante do Hospital Militar de Caracas.

  40. O ator americano Sean Penn prestou homenagem a Hugo Chávez:

    "Hoje, o povo dos Estados Unidos perdeu um amigo que nem sabia que tinha. E as pessoas pobres de todo o mundo perderam um campeão. Eu perdi um amigo que fui abençoado de ter."

    Penn também disse que a Venezuela e sua revolução "resistirão sob a liderança comprovada do vice-presidente Maduro".

  41. O representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, disse a repórteres em Nova York: "É uma tragédia. (Hugo Chávez) era um grande político".

  42. A morte de Hugo Chávez, a vanguarda do que se chamou de "Socialismo do Século 21" reverbera não somente no povo venezuelano, mas em toda a América Latina e além. Em particular, o impacto de sua perda será sentido mais agudamente em Cuba, na Bolívia e no Equador, seus aliados mais próximos na região.

    Agora, Chávez alcançará um status de ícone e sua revolução busca um caminho sem ele, o homem que a desenvolveu e em torno do qual ela foi construída. Mas seus milhões de seguidores na Venezuela se confortarão com o fato de que não foi o golpe fracassado em 2002 nem os repetidos esforços nas urnas, mas sim os problemas de saúde - ou, para muitos de seus devotos, a mão de Deus - que levou Chávez.

  43. Maduro assumirá a presidência até eleição

    O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Elias Jose Jaua Milano, diz que o vice-presidente Nicolás Maduro assumirá a presidência temporariamente até a nova eleição, que acontecerá em 30 dias.Havoa-se assumido que o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, seria o presidente interino.

  44. O presidente do Equador, Rafael Correa, decretou três dias de luto nacional em homenagem ao presidente Hugo Chávez, definido por ele como um "imenso latino-americano".

    "Hugo segue mais vivo do que nunca, inspirando as revoluções da pátria grande, revoluções que são irreversíveis", disse Correa ao oferecer suas condolências ao povo da Venezuela.

    "Quando for julgado o momento histórico que coube a ele viver e protagonizar, o mundo inteiro reconhecerá a grandeza deste homem corajoso", disse Correa.

    "Nosso compromisso hoje, mais do que nunca, é não dar um passo atrás", ressaltou.

  45. As Farc (Forças Armadas Revolucioárias da Colômbia) prestaram um tributo a Hugo Chávez em um comunicado divulgado em seu site na internet.

    "Hugo Chávez ocupa um lugar de honra na História da Venezuela, ao lado de Simón Bolívar e Ezequiel Zamora, mostrando o caminho da independência, da democracia e da Justiça para seu país, a América Latina, o Caribe e todos os povos oprimidos do mundo", diz o texto.

  46. Incrédulos, venezuelanos choram morte de Chávez

    Em reduto da oposição, buzinas foram ouvidas em comemoração; enterro deve ocorrer na sexta-feira.
  47. Os principais partidos políticos da Espanha reagiram à morte de Hugo Chávez.

    O secretário-executivo de Relações Internacionais do governista Partido Popular, José Ramón García Hernández, transmitiu as condolências ao povo venezuelano e disse que "agora é o momento para que o povo seja protagonista de seu futuro".

    A vice-secretária-geral do opositor PSOE, Elena Valenciano, lamentou a morte de Chávez e disse estar confiante de que governo e oposição "assumam a situação com responsabilidade e normalidade".

  48. O governo de Cuba, onde Chávez recebeu tratamento após seu câncer ter sido diagnosticado, declarou três dias de luto.

    Em um comunicado divulgado na TV estatal, o governo afirmou que Chávez "ficou ao lado de Fidel (Castro) como um verdadeiro filho", referindo-se ao ex-presidente cubano, que deixou o poder em 2006 devido a problemas de saúde.

  49. O governador do Estado de Miranda e ex-candidato presidencial Henrique Capriles, acompanhado por dirigentes da oposição da Mesa da Unidade Democrática, manifestou suas condolências à família e aos seguidores do presidente Hugo Chávez.

    Capriles disse que ele e Chávez – que se enfrentaram nas eleições presidenciais de outubro de 2012 – foram "adversários, nunca inimigos".

    O governador fez um chamado à paz e ao respeito da Constituição, em um momento de incerteza no país.

    "Esta nação será capaz de superar qualquer dificuldade que se apresente", disse.

  50. Com lágrimas nos olhos, o presidente boliviano Evo Morales - um dos aliados mais próximos do mandatário da Venezuela - afirmou: "Chávez está mais vivo do que nunca".

    "Ele continuará a ser uma inspiração para todas as pessoas que lutam por sua libertação. Chávez sempre estará presente em todas as regiões do mundo e todos os setores sociais".

  51. O governo da Venezuela declarou sete dias de luto oficial, segundo o chanceler Elías Jaua. Nesta quarta-feira, o corpo de Chávez será levado à Academia Militar, em Caracas, onde ocorrerá o velório. O enterro ocorrerá no dia 8, às 10h (11h30 de Brasília). O local de sepultamento ainda não foi definido.

  52. O líder opositor Henrique Capriles afirmou em uma entrevista à imprensa que ele e Chávez eram "adversários, nunca inimigos". Ele disse ter enviado uma mensagem de "respeito e responsabilidade".

    Capriles disse ainda que o governo deve agora "agir em estrito acordo com seus deveres constitucionais".

  53. A embaixadora da Grã-Bretanha na Venezuela, Catherine Nettleton, disse em comunicado: "O presidente Chávez era apaixonado por seu país e seu falecimento será amplamente sentido na Venezuela". A diplomata afirmou que Londres continuará a construir uma relação de cooperação mútua com Caracas.

  54. O documentarista e escritor americano Michael Moore postou em sua conta no Twitter diversas declarações sobre a morte do presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

    Moore disse que há 54 países ao redor do mundo que permitem que os Estados Unidos prendam e torturem suspeitos em seus territórios. "A América Latina, graças a Chávez, foi o único lugar que disse não", afirmou.

    Em outro post, relembrou que ao conhecer Chávez no festival de cinema de Veneza, o líder lhe disse que estava feliz em conhecer alguém a quem Bush odiava mais do que ele.

  55. Encerramos aqui a cobertura da BBC Brasil sobre a morte do presidente venezuelano, Hugo Chávez. Obrigado pela audiência. Acompanhe nosso site http://www.bbc.co.uk/portuguese/ para mais notícias sobre os desdobramentos políticos na Venezuela.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.