Time é multado após líder da Chechênia xingar juiz em alto-falante

Image caption Ramzan Kadyrov é conhecido por ser um torcedor fanático de futebol

A Federação Russa de Futebol puniu com uma multa de R$ 12,8 mil, e um jogo a ser disputado em um estádio neutro, o time do Terek Grozny, depois de o presidente da república russa da Chechênia, Ramzan Kadyrov, xingar o juiz em um jogo da equipe.

Após a expulsão de um jogador do time da capital chechena durante uma partida no domingo contra o Rubin Kazan, da república do Tartarstão, pelo Campeonato Russo, Kadyrov tomou o microfone do sistema de alto-falantes do estádio e gritou "Seu imbecil!".

Depois do jogo, ele foi até o vestiário dos juízes para exigir explicações sobre a expulsão.

Kadyrov já havia pedido perdão aos torcedores pelo episódio, mas não ao juiz, que pertence ao quadro da Fifa, insistindo que ele merecia ser chamado de corrupto.

O presidente checheno, que governa a região desde 2005, é um torcedor fanático de futebol e havia também ocupado o cargo de presidente do Terek Grozny entre 2004 e 2011.

Kadyrov também gosta de jogar futebol. Em 2011, participou de uma partida em Grozny entre uma seleção chechena e um combinado de estrelas aposentadas do Brasil, incluindo Dunga, Bebeto, Romário e Cafu.

Aplausos

O lance que motivou a reação de Kadyrov no domingo ocorreu aos 38 minutos do segundo tempo, quando o capitão de sua equipe, Rizvan Ustiev, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso.

O presidente foi rápido e furioso. Sua voz foi ouvida prontamente no sistema de alto-falantes do estádio, exclamando: "O juiz foi comprado! Seu imbecil!"

A explosão de raiva provocou fortes aplausos entre os torcedores do Terek. O jogo terminou empatado em 0 a 0.

Posteriormente, em uma mensagem postada em sua conta no Instagram, Kadyrov admitiu ter sido irresponsável.

"Foi um jogo terrível, porque o juiz foi tendencioso", disse. "Ele fez todo o possível para mudar o resultado da partida - não marcou um pênalti claro e deu o segundo cartão amarelo para Utsiev."

"Peço desculpas para todo o mundo do futebol pelo que eu disse no calor do momento", acrescentou. "Mas não para o juiz, que mereceu ser chamado de corrupto."

Na segunda-feira, o líder checheno ainda se recusava a pedir desculpas e dizia que o Terek Grozny estava "pronto a aceitar" qualquer punição que fosse imposta, por mais dura que fosse.

"Eu tinha sérias razões para fazer isso", disse Kadyrov à agência de notícias russa RIA Novosti. "Além disso, minhas queixas sobre o juiz não são só sobre este jogo de ontem."

"As ações do juiz pedem uma investigação cuidadosa", acrescentou o líder checheno. "Não podemos permitir que um homem estrague o jogo."