Scolari vê grupo 'mais ou menos' fechado para Copa das Confederações

Luiz Felipe Scolari no amistoso contra a Rússia (Foto: AFP/Getty Images)
Image caption Scolari elogiou equipe após empate com a Rússia, terceira partida sem vitória sob seu comando

Um sereno e bem-humorado Luiz Felipe Scolari se disse satisfeito com o desempenho da Seleção Brasileira após o amistoso em que a equipe empatou em 1 a 1 com a Rússia, dizendo que o grupo está ''mais ou menos'' fechado para disputa da Copa das Confederações, em junho deste ano.

O amistoso disputado no estádio de Stamford Bridge, em Londres, foi a terceira partida da equipe brasileira sob comando do técnico sem vitória. Na estreia do treinador, o time perdeu para a Inglaterra, depois, empatou com a Itália.

O empate no jogo desta segunda só foi obtido aos 89 minutos, com gol de Fred, após jogada envolvendo Hulk e Marcelo. Foi o terceiro gol de Fred em três jogos, o que praticamente assegurou sua vaga para a Copa das Confederações, torneio que será o último grande desafio da equipe antes da Copa do Mundo de 2014.

Aliás, dentre os jogadores em campo, não foi somente o atacante do Fluminense que pareceu garantir sua presença na equipe para o torneio, como destacou o treinador.

''Saio daqui com uma imagem desses dois jogos (contra a Itália e a Rússia) e com meu grupo mais ou menos fehcado para Copa das Confederações, mas vou observar aqueles jogos que temos contra a Bolívia e o Chile'', afirmou, em referência aos próximos amistosos que serão disputados pela equipe.

Kaká, que vem sofrendo forte pressão da imprensa e de torcedores, após sucessivos desempenhos apagados, voltou a ter uma atuação discreta. Quando foi substituído por Diego Costa, o público em Stamford Bridge se alternou entre aplausos e vaias.

O técnico se limitou a dizer que o desempenho de Kaká foi ''dentro do que esperávamos''.

Em relação aos demais jogadores, o técnico comentou: ''Ainda tenho um outro ajuste, uma ou outra etapa do sucesso que eu pretendo alcançar com essa equipe''.

Invasão

A partida contou com duas invasões do gramado por torcedores, uma no primeiro tempo, outra na segunda etapa da partida, quase ao final do jogo, pouco antes do gol de empate brasileiro.

O treinador da seleção russa, o italiano Fabio Capello, chegou a dizer que se não fosse pela interrupção causada pela invasão, a Rússia teria vencido a disputa.

Demonstrando uma serenidade quase ''zen'', Scolari respondeu à pergunta da BBC Brasil sobre o comentário de Capello com um divertido relato.

''Vou contar uma história pra ti. Quando era treinador de Portugal, num jogo com a Letônia, entrou uma moça correndo, sem a parte de cima, só com a parte de baixo, todo mundo ficou olhando. Tava 0 a 0, depois nós ganhamos de 2 a 0. Se isso influenciou naquele resultado, não sei. Eu fiquei olhando para a moça, não sei se os outros jogadores olharam, eu fiquei olhando.''

''Se hoje aconteceu isso, o que que eu posso dizer para ti. Pode ser que os adversários tenham ficado fora de pensamento no jogo, aí abriu a oportunidade, penso que não.''

Sobre seu retorno a Stamford Bridge, o estádio do Chelsea, equipe que treinou em 2009 durante sete meses, Scolari disse não guardar mágoa, mesmo após ter sido dispensado após um suposto complô de jogadores da equipe como Drogba e Ballack.

''Estou feliz por estar aqui, agradeço sempre estar em Londres, ter vivido em Londres, a temporada que eu vivi aqui, o respeito que os jornalistas de Londres tiveram comigo. Eu me sinto bem, em casa, triste por não ter continuado, mas feliz por retornar aqui.''

Quanto a um futuro retorno para uma equipe da Premiership inglesa, Scolari diz não ser o momento de pensar nisso. "Não penso nisso agora, penso só em jogar o mundial". Mas acrescentou, interrompendo sua tradutora: ''Maybe, maybe (Talvez, talvez)''.

Notícias relacionadas