Designers criam projeto para buscar rostos em objetos e paisagens

A face de Marte fotografada em 1976 e recentemente pela Nasa (Nasa)
Image caption Fotos da 'Face de Marte' inspiraram projeto de designers alemães

Um grupo de designers alemães está procurando por todo o planeta, com a ajuda de satélites, imagens de montanhas e colinas que se pareçam com rostos.

Há tempos as pessoas enxergam rostos na Lua, em verduras de formatos diferentes e até em torradas e pãezinhos.

Mas agora o estúdio alemão Onformative, com a ajuda do novo programa Google Faces, vai passar os próximos meses procurando formas parecidas com rostos no Google Maps, no que já é considerada a maior e mais metódica busca pelo fenômeno da pareidolia.

A pareidolia é definida como a percepção de uma imagem significativa a partir de um estímulo vago ou aleatório, como, por exemplo, imagens de animais ou faces, em nuvens, pedras, veios de mármore ou madeira.

O programa Google Faces vai escanear o planeta várias vezes de ângulos diferentes. Até o momento, o projeto já encontrou um perfil humano em uma região remota da Rússia, Magadan Oblast, e uma pessoa com pelos nas narinas na região de Kent, na Grã-Bretanha, entre outros.

Depois de ver a famosa "Face de Marte", a formação montanhosa parecida com um rosto fotografada pela Viking 1 em 1976, os designers Cedric Kiefer e Julia Laub começaram a fazer experiências com tecnologia de reconhecimento facial e então ficaram curiosos sobre como "o fenômeno psicológico da pareidolia poderia ser gerado por uma máquina", disse Kiefer.

Image caption Designers encontraram perfis em montanhas remotas da Rússia

Os dois não esperavam muito sucesso com o projeto, mas logo as fotos de rostos na tundra da Rússia e na zona rural britânica se espalharam pela internet. "Parece que existe algo fascinante sobre a pareidolia", afirmou Kiefer.

Algumas das imagens parecem com personagens de desenho animado e até com arte abstrata, mas outras parecem "reais demais para acreditarmos que é apenas coincidência", acrescenta o designer.

Dinheiro

A pareidolia pode render dinheiro ou até acabar em peregrinações. Um nugget de frango que teria a forma do presidente americano George Washington foi leiloado no eBay em 2012 por US$ 8,1 mil (quase R$ 17 mil).

Uma década antes, cerca de 20 mil cristãos foram até Bangalore, na Índia, para ver um chapati torrado, um pão tradicional da região, com a imagem de Cristo.

Image caption A chaleira que se pareceria com Adolf Hitler

Nos últimos dias, moradores de Los Angeles se depararam com a propaganda de uma chaleira vendida na loja de departamentos JC Penney que se pareceria com Adolf Hitler.

Segundo declarações de internautas anônimos em redes sociais, o botão negro da tampa do utensílio se pareceria com o bigode do líder nazista. A alça da chaleira foi comparada ao seu cabelo, com o penteado característico. Já o bico da chaleira, de acordo com os internautas, seria o braço estirado – fazendo a saudação nazista.

A americana Diana Duyser mordeu um pão torrado com queijo em 1994 e notou o que parecia ser uma imagem da Virgem Maria. Ela guardou o resto do sanduíche durante mais de uma década.

Depois, o sanduíche foi leiloado no eBay por US$ 28 mil (mais de R$ 58 mil).

Herança evolutiva

Image caption O pão que se pareceria com Madre Teresa de Calcutá também fez sucesso

A tendência de vermos rostos em manchas, formações rochosas e outros objetos pode ocorrer devido à nossa herança evolutiva, de acordo com Nouchine Hadjikhani, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Humanos seriam "programados" para detectar rostos desde o nascimento.

"Se você pegar um bebê com apenas alguns minutos de vida, ele vai dirigir a atenção para algo que, no geral, apresenta as características de um rosto, ao invés de algo que tem os mesmos elementos, mas (dispostos) de forma aleatória", afirmou o cientista.

Para Christopher French, da Sociedade Britânica de Psicologia, esta tendência vai até os primeiros humanos.

"Um exemplo clássico é o cara da Idade da Pedra parado, coçando a barba, pensando se aquela movimentação no arbusto realmente é um tigre-dente-de-sabre. Você tem mais chances de sobreviver se imaginar que é um tigre-dente-de-sabre e fugir dali, senão você pode acabar como almoço", afirma o pesquisador.

Outros especialistas afirmam que a pareidolia é consequência de sistemas usados pelo cérebro para processar informação. O cérebro vasculha constantemente linhas, formas, superfícies e cores aleatórias, segundo o neurocientista Joel Voss, da Northwestern University.

Image caption Diana Duyser ganhou dinheiro com a torrada que mostraria a Virgem Maria

O cérebro entende estas imagens ao dar significado a elas, geralmente associando com algo arquivado como conhecimento de longo prazo. Mas, em algumas ocasiões, coisas um pouco "ambíguas" acabam sendo comparadas a coisas que podemos nomear mais facilmente, resultando na pareidolia, segundo o neurocientista.

A também neurocientista Sophie Scott, da University College de Londres, afirma que a pareidolia também pode ser um produto das expectativas.

"Conseguir ver o rosto de Jesus em uma torrada diz mais sobre o que está acontecendo com suas expectativas e sobre como você está interpretando o mundo baseado em suas expectativas do que sobre algo que realmente está na torrada", conclui Scott.

Notícias relacionadas