Em imagens: Bienal de Veneza

Olimpíada da arte

A Bienal de Veneza, frequentemente chamada de Olimpíada da Arte Contemporânea, terá exposições de 88 países, que acontecerão em pavilhões espalhados pela cidade na Itália.

Os trabalhos apresentados dizem algo sobre como os países se veem e querem ser vistos. No pavilhão da Espanha, a crise é um dos temas centrais e a oligarquia russa é abordada em uma das instalações do país.

O artista e dissidente chinês Ai Weiwei também está presente na Bienal, como parte do pavilhão da Alemanha e com uma nova obra fora da competição oficial, que mostra sua detenção em uma prisão secreta chinesa em 2011.

Representando o Brasil, a Bienal terá uma obra do artista Arthur Bispo do Rosário (1910 - 1989) em seu pavilhão principal, chamado de "Palácio Enciclopédico".

O pavilhão brasileiro terá obras ─ algumas inéditas ─ dos artistas Hélio Fervenza, Odires Mlászho, Lygia Clark, Max Bill e Bruno Munari.