São Paulo vive nova noite de protestos

Protesto / AFP
Image caption Manifestantes pediram renúncia de governadores Geraldo Alckmin (SP) e Sérgio Cabral (RJ)

São Paulo viveu uma nova noite de protestos nesta sexta-feira, quando manifestantes saíram às ruas da capital paulista para reivindicar a abertura das contas do transporte público.

O protesto, que começou por volta das 18h, foi convocado pelas redes sociais e ocorre em meio a denúncias sobre uma suposta formação de cartel nos contratos de trens e metrô da cidade.

Cerca de 400 pessoas caminharam da Avenida Paulista, considerado o coração financeiro da capital paulista, até a Assembleia Legislativa, nas imediações do Parque Ibirapuera.

Os manifestantes também pediam a renúncia do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB).

Eles lembraram ainda o desaparecimento do pedreiro carioca Amarildo de Souza, de 43 anos, que sumiu da favela da Rocinha, onde morava, há duas semanas, após ter sido levado para averiguação por policiais militares.

Na Assembleia Legislativa, houve confronto com a polícia, depois de um grupo ter tentado furar a barreira policial.

De acordo com o balanço da PM, três pessoas ficaram feridas durante o protesto, sendo dois manifestantes e um policial militar.

Este é o terceiro protesto em menos de uma semana em São Paulo. O primeiro ocorreu na terça-feira (30) e o segundo, na quinta-feira (1). Ambos terminaram com atos de violência e manifestantes detidos.

Notícias relacionadas