Polícia busca atiradores após mortes em instalação naval nos EUA

Equipes de resgate diante de prédio da Marinha alvo de disparos em Washington (Getty)
Image caption Polícia trabalha com a hipótese de haver mais de um atirador

A polícia de Washington busca dois supostos atiradores que teriam efetuado disparos em uma instalação da Marinha na capital americana nesta segunda-feira.

Os tiros, que deixaram ao menos quatro mortos, foram disparados por volta das 8h20 da manhã (horário local, 9h20 em Brasília) dentro da instalação Washington Navy Yard, onde trabalham 3 mil pessoas, a algumas quadras de distância do Congresso americano.

A polícia diz que um dos supostos atiradores foi morto e que trabalha com a hipótese de outros dois ainda estarem foragidos - ainda que a participação deles não esteja confirmada no episódio.

Se confirmada, a existência de mais de um atirador indicaria que o ataque foi premeditado.

"Até onde sabemos, é um incidente isolado. Nenhuma outra instalação naval foi atacada", disse em entrevista coletiva o prefeito de Washington, Vincent Gray.

Mortos

Gray e porta-vozes da polícia e da Marinha ainda não confirmaram o número de mortos e feridos no episódio, afirmando apenas que há "diversas vítimas" dentro da instalação naval.

Entretanto, anteriormente, o capitão Ed Buclatin, diretor de relações públicas da instalação, havia dito no Twitter que estavam confirmadas quatro mortes e oito pessoas feridas.

O comandante da Marinha Tim Juris disse à BBC que estava no quarto andar do complexo quando ouviu os tiros.

"O som era de uma arma de brinquedo, e não de uma arma real", contou.

O presidente dos EUA, Barack Obama, confirmou em pronunciamento que o país está diante de "mais um ataque a tiros, desta vez em uma instalação militar" e afirmou que uma investigação do caso já está em curso.