'Cronut', misto de croissaint e donut, faz sucesso nos EUA

Cronut. Foto: BBC Mundo
Image caption Cronut virou moda em Nova York e se espalhou por diversas cidades do mundo

Uma confeitaria no bairro do Soho, em Nova York, começou a vender no mês passado o "cronut", uma mistura de croissant e donut, que em pouco tempo ganhou popularidade nos Estados Unidos.

Na confeitaria Dominique Ansel, de Manhattan, que criou a iguaria, uma fila de clientes se forma todos os dias.

Os cronuts são feitos com massa especial de croissant, mas no formato de donut. Após a fermentação, ele é frito em óleo e coberto com glacê. Em alguns casos, ele é recheado com creme.

A Dominique Ansel precisou de dez tentativas para achar a fórmula ideal da massa do cronut. Cada mês, um sabor novo é criado. Até agora, já foram feitos cronuts de baunilha, limão, coco e mascarpone. A fórmula foi patenteada.

Os criadores recomendam que ele seja servido em temperatura ambiente. A melhor forma de cortar o cronut é com faca de serra, para evitar que as diferentes camadas de massa fiquem achatadas.

Devido à alta demanda, a confeitaria Dominique Ansel só permite que cada cliente compre até duas unidades. Cada uma custa US$ 5, ou cerca de R$ 10.

'Kronutz'

O cronut agora está se globalizando. Já é possível comprá-lo em cidades como Londres, Barcelona, Roma, Cingapura e Moscou.

Em Los Angeles, alguns estabelecimentos criaram outros nomes na tentativa de escapar de processos jurídicos. As variações do cronut podem se chamar "doughssant", "kronutz" ou "croughnut".

A confeitaria Kettle Glazed Doughnuts, que abriu suas portas há dois meses no bairro de Hollywood, vende algo que chama de "donuts no estilo croissant". Lá, o sabor oferecido é de pistacho e moca.

"É algo que encanta os clientes. Muitas pessoas vem aqui especialmente para comprá-los", disse à BBC o dono da confeitaria, Brandon Kelly. O "donut no estilo croissant" custa US$ 3,75 (cerca de R$ 8), um pouco mais caro do que o donut normal.

Segundo Kelly, a elaboração do produto é mais sofisticada, por isso o preço é maior.

Notícias relacionadas