Grécia tenta desvendar mistério de menina loira 'sequestrada'

Foto de 'Maria'
Image caption Imagens de 'Maria' foram divulgadas para tentar encontrar seus verdadeiros pais

A polícia grega está tentando descobrir a identidade de uma menina loira encontrada em um acampamento cigano com uma família com a qual não tinha ligações.

Testes de DNA revelaram que a criança, chamada Maria e com cerca de 4 anos de idade, não tinha parentesco com o casal com o qual vivia.

A menina está agora sob os cuidados de uma organização de caridade. Sua foto foi divulgada numa tentativa de encontrar sua verdadeira família.

Autoridades locais acreditam que ela foi vítima de sequestro ou de tráfico de crianças.

A polícia grega lançou um apelo internacional, já que acredita que a menina possa ser originária do norte ou do leste da Europa.

A organização encarregada de cuidar de Maria, The Smile of the Child, disse à BBC que a menina estava assustada e mal cuidada quando chegou na instituição, mas que está com boa saúde em geral e já está mais relaxada.

A organização disse já ter recebido várias ligações desde que emitiu o apelo, na sexta-feira.

O presidente da The Smile of the Child, Kostas Yaapoulos, disse que a menina estava sendo usada pelo casal para pedir esmolas nas ruas.

Um porta-voz do casal britânico Kate e Gerry McCann, cuja filha Madeleine desapareceu em 2007 em Portugal, pouco antes de completar 4 anos, disse que o caso de Maria lhes deu "grande esperança" de que um dia ela também possa ser encontrada com vida.

Drogas e armas

Maria foi encontrada na quarta-feira em um acampamento cigano próximo a Farsala, no centro da Grécia, durante uma operação policial para buscar drogas e armas.

Os policiais perceberam a falta de semelhança entre a menina loira, de olhos verdes e pele branca, e seus pais.

Eles depois encontraram mais discrepâncias ao analisar os documentos da família.

O casal tinha registradas várias crianças com diferentes cartórios regionais.

A mulher dizia ter dado à luz seis crianças em um período de dez meses.

Quando questionada como haviam obtido a guarda de Maria, o casal deu declarações contraditórias e que "mudavam constantemente", segundo o diretor da província de Tessália, Vassilis Halatsis.

"A menina pode ter sido sequestrada de um hospital ou dada por uma mãe não casada", disse o policial.

"Até agora não temos uma declaração de desaparecimento de uma criança dessa idade na Grécia. Por meio da Interpol (organização policial internacional), vamos pedir ajuda de outros países europeus", disse.

O casal, um homem de 39 anos e sua mulher de 40, foi preso sob a acusação de sequestro de menor.

Notícias relacionadas