Golpe histórico fracassado inspira símbolo de dia de protestos

Máscaras de Fawkes usadas em protesto nas Filipinas nesta terça (AFP)
Image caption Máscaras de Guy Fawkes se tornaram onipresentes em protestos

Manifestações de rua foram convocadas em dezenas de cidades do mundo - inclusive brasileiras - nesta terça-feira, em celebração ao personagem histórico britânico Guy Fawkes.

Fawkes e outros revolucionários católicos foram condenados à morte após uma tentativa fracassada, em 5 de novembro de 1605, de explodir as Casas do Parlamento e tomar o poder na Inglaterra.

Desde então, o 5 de novembro passou a ser comemorado na Inglaterra com festas e fogueiras. Mas Fawkes inspirou, quatro séculos mais tarde, o quadrinista Alan Moore a criar o personagem V, um enigmático anarquista que luta para derrubar do poder um partido fascista fictício na Grã-Bretanha.

No começo do livro, V leva a cabo o plano original de Fawkes e explode as Casas do Parlamento.

O desenhista David Lloyd, responsável pelas ilustrações, criou a imagem original da máscara, popularizada em 2006 pelo filme V de Vingança.

Desde então, as máscaras foram incorporadas pelos manifestantes em protestos anticapitalistas, da Primavera Árabe ao Ocupe Wall Street e às manifestações de junho e julho no Brasil.

Em entrevista recente à BBC, Lloyd afirmou que "a máscara de Guy Fawkes tornou-se uma marca, um cartaz conveniente para ser usado em protestos contra a tirania".

Convocações

Grupos como Anonymous e Ocupe Wall Street convocaram protestos em diversos países nesta terça, como EUA, Filipinas e África do Sul.

Nas Filipinas, cerca de cem mascarados se reuniram diante do Parlamento em Manila, em protesto contra a corrupção e prometendo ataques de hackers contra sites do governo, informa a France Presse.

O evento foi batizado de Million Mask March (traduzida como Marcha Milhões de Máscaras pelo grupo Anonymous Brasil) e virou um dos tópicos mais comentados no Twitter.

No Brasil, o Anonymous convocou protestos contra corrupção em diversas cidades, como São Paulo (no Masp, a partir das 18h), Rio (na Candelária, a partir das 18h), Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre e municípios do interior paulista.

Grupos black blocs também devem se manifestar.

Notícias relacionadas