Cientistas produzem 'língua eletrônica' para melhorar produção de vinho

Direito de imagem Getty
Image caption O momento da colheita determina o resto da linha de produção do vinho

Pesquisadores espanhois criaram um dispositivo que executa funções da língua humana e aponta o momento ideal para a colheita das uvas no processo de fabricação do vinho.

Seus criadores, da Universidade Politécnica de Valência, o chamam de "língua volumétrica ou eletrônica". Manez Ramón Martínez, coautor do estudo, disse à BBC que a "língua" é capaz de medir a quantidade de açúcar (°Brix), o nível de acidez total, e o pH das uvas.

O dispositivo, um cilindro de aço equipado com eletrodos, analisa esses elementos — em poucos segundos e no próprio local —, que indicam a melhor época para a colheita da fruta a partir do suco que é obtido quando as uvas são esmagadas.

Essa análise é bem semelhante à realizada pela língua de seres humanos ou animais, quando entra em contato com um alimento.

Direito de imagem Ramon Martinez
Image caption A língua eletrônica analisa os três elementos que determinam o momento certo da colheita

Primeiro a língua determina se o sabor é de uma substância doce, ácida ou amarga. Em seguida, realiza um processo mais complexo e reconhece se se trata de uma fruta, um legume ou qualquer outra coisa, como explica Martínez.

O acadêmico explica que uma das vantagens do dispositivo é que permite que se tenha uma certeza científica sobre a qualidade da fruta no início do processo, o que é essencial para obter um bom produto final.

"A colheita é muito importante, pois determina o resto da linha de produção, por isso tem que acontecer na hora certa: se a fruta está muito doce, a quantidade de álcool na bebida não seria correta, e se não forem colhidas na hora certa, apodrecem." Ele acrescentou que, nesta fase inicial, a decisão sobre o momento da colheita decorre, muitas vezes, da intuição dos vinicultores.

O tempo que a fruta passa na videira depende ainda do tipo de vinho a ser produzido. Por exemplo, as primeiras uvas que são colhidas são usadas para a cava, um vinho espumante semelhante ao fabricado na região de Champagne, no norte da França.

Dados

O conceito da língua eletrônica para a análise de líquidos foi desenvolvido há vários anos, quando vários protótipos foram construídos. É inspirado no nariz eletrônico, que identifica odores usando reconhecimento de padrões que são processados por um computador.

O trabalho de campo foi realizado nos meses de agosto e setembro de 2012, época de colheita, em vinhedos na região mediterrânea da Espanha. Oito tipos de uva foram estudadas: Cabernet Sauvignon, Shyrah, Chardonnay, Pinot Noir, Merlot, Bobal e Macabeo.

Os dados coletados pelo dispositivo eletrônico foram confirmados por estudos de laboratório realizados através de métodos tradicionais.

Os resultados acabam de ser publicados na revista Food Research International, do Instituto Canadense de Ciência e Tecnologia de Alimentos (CIFST, na sigla em inglês), especializada na divulgação de pesquisas sobre nutrição e alimentos.

Notícias relacionadas