Jovem com mais seguidores que Bieber ganha a vida com vídeos de jogos

Joseph Garrett Direito de imagem Joseph Garrett
Image caption O canal de Joseph Garrett no YouTube é um dos dez mais acessados do mundo

Joseph Garrett passa os dias jogando o video-game Minecraft em seu quarto, na casa de seus pais. Ele ganha a vida filmando a si mesmo enquanto joga. E isso pode deixá-lo rico.

O jogador, de 23 anos, tem milhões de jovens fãs que o bombardeiam com mensagens diárias, e seus vídeos no YouTube atualmente conseguem mais visualizações do que as publicações feitas popstar canadense Justin Bieber. Mas ao caminhar pela rua, ninguém o reconhece.

Bem-vindo ao novo mundo de entretenimento para jovens, em que os jogadores devotos assistem a vídeos para que possam aperfeiçoar suas habilidades.

Os vídeos mais populares de Garrett retratam o jogo Minecraft, no qual os jogadores constroem seus próprios mundos virtuais. O jogo tornou-se um fenômeno, e seus vídeos podem gerar de mais de 30 milhões de acessos em uma semana, atraindo o interesse de empresas que usam o site de vídeos para anunciar seus produtos.

Mesmo se ele receber apenas uma pequena parte da receita de publicidade gerada, esses números enormes podem muito bem deixá-lo rico.

"Estou muito feliz, não vou mentir, eu acho que tenho o melhor trabalho do mundo", disse à BBC.

"Eu jogo durante todo o dia, faço vídeos, que é o que eu amo fazer, posso ser criativo e me divertir. O fato de que as pessoas gostam de assistir torna tudo ainda mais agradável", completa.

Um ex-barman de Emsworth, pequena cidade no sul da Inglaterra, Joseph Garrett foi surpreendido pela enorme popularidade alcançada por seus vídeos em um curto espaço de tempo.

Apesar de seu canal no YouTube não ter o maior número de assinantes, o acesso cresceu rapidamente no último mês. Segundo as empresas de web Socialblade e Tubefilter, seu canal está entre os dez mais vistos no mundo.

Direito de imagem Microsoft
Image caption Crianças e adolescentes assistem aos vídeos para jogar melhor o Minecraft

A audiência de Joseph é em grande parte composta por jovens de seis a 14 anos. Segundo ele, a maioria são meninas (60%), o que surpreende muita gente.

Joseph, que publica os vídeos sob o pseudônimo Stampylonghead, iniciou o upload do material enquanto ainda estava na universidade.

"Eu trabalhava em um bar e decidi sair quando estava ganhando a mesma coisa com os vídeos", acrescenta. "Era apenas um salário mínimo, eu tinha provavelmente cerca de mil assinantes", conta, sem revelar quanta ganha hoje.

Atualmente, a remuneração mínima por hora de trabalho no Reino Unido é de 6,31 libras (cerca de R$ 25,00).

"Eu tive sorte de poder morar com meus pais e não precisar pagar aluguel para que pudesse desenvolver isso e ganhar a vida em tempo integral."

Melhor que TV

Joseph reconhece que, se o jogo continuar popular, ele pode se tornar milionário, mas diz que o dinheiro não é sua motivação.

"A maioria dos canais de mais de 100.000 assinantes pode proporcionar uma vida decente."

Esse é o futuro, diz. "Muitas pessoas veem a televisão como uma coisa muito passiva agora. Ela fica num canto, sempre transmitindo, 24 horas por dia".

"Eu acho que tablets, celulares e laptops são muito mais imediatos e mais emocionante", observa.

Sua opinião é partilhada por Chris Dring, editor da revista MCV, sobre mercado de jogos.

"A mídia infantil passou por uma transformação radical nos últimos três anos", diz ele. "As crianças ainda estão assistindo à TV, indo ao cinema e jogando video-game. Mas elas também estão no YouTube, Facebook e celular. Esses YouTubers são verdadeiros atores do entretenimento. Para seus seguidores, são celebridades".

Joseph não é o único a fazer sucesso com vídeos de jogos.

Direito de imagem Joseph Garrett
Image caption Joseph Garrett trabalha em seu quarto, na casa dos pais

O canal Yogscast, também britânico, passou os dois bilhões de acessos nos últimos seis anos e já foi citado, previamente, como o número um da Grã-Bretanha.

O rapaz, que é solteiro, diz que seu público o vê como um amigo.

"Eu acho que (o YouTube) parece mais pessoal do que assistir televisão. Eles se sentem como se me conhecessem, me escrevem mensagens, não sobre os meus vídeos, mas apenas para me dizer o que fizeram naquele dia", conta.

O número de mensagens que Joseph recebe a cada dia é tão grande que ele não consegue ler todas.

Seus planos futuros incluem sair da casa de seus pais e ir morar com um amigo de 22 anos de idade, David Spencer, que também aparece em seus vídeos de Minecraft como iBallisticSquid.

"Eu sou um cara fazendo vídeos no quarto. Estou tentando montar um escritório próprio, mas tudo tem acontecido muito rápido", disse. "Eu só quero manter o que estou fazendo no momento."

E o que seus pais pensam da carreira incomum de seu filho?

"Eu acho que eles estão igualmente espantados como eu. No início, acho que eles meio que desejavam que eu saísse e conseguisse um emprego de verdade, mas agora eles realmente não podem argumentar contra isso e estão felizes por mim", disse.

Notícias relacionadas