Com morte na Arena Pantanal, um terço dos estádios da Copa têm fatalidades

Arena Pantanal (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Operário morto trabalhava no acabamento elétrico do estádio de Cuiabá, que está 98% concluído

Um operário que trabalhava na Arena Pantanal, palco dos jogos da Copa do Mundo em Cuiabá, morreu nesta quinta-feira depois de levar uma descarga elétrica, elevando o número de operários que já morreram na construção das arenas da Copa para nove.

O operário Mohammad Ali Maciel Afonso, de 32 anos, foi atingido pela descarga elétrica quando instalava uma luminária em um corredor.

Com isso, o número de estádios da Copa que já registraram alguma fatalidade em sua construção subiu para quatro - ou um terço dos 12 que receberão o torneio.

Só uma das mortes, na Arena Amazônia, não foi acidental. Acredita-se que o operário tenha sido vítima de um infarto.

O estádio de Manaus ainda teve três acidentes com fatalidades, assim como a Arena Corinthians, em São Paulo. Um outro operário morreu nas obras do Estádio Nacional, em Brasília.

Acabamento elétrico

Afonso fazia o acabamento elétrico no estádio de Cuiabá como funcionário da empresa Etel, que integra o consórcio a cargo das telecomunicações da Arena Pantanal.

Ele chegou a ser atendido por uma equipe de emergência e faleceu antes de ser levado para o hospital.

O secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, lamentou o ocorrido pelo Twitter: "Meu pensamentos estão com a família e os amigos de Mohammad".

Uma perícia técnica foi feita no local do acidente. Seu resultado determinará o impacto do acidente sobre as obras da arena, que está 98% concluída.

Notícias relacionadas