Alta de bolsas eleva patrimônio privado global em 14%

Telas na Times Square, de NY, comemoram lançamento de ações do microblog chinês Weibo na bolsa Nasdaq Direito de imagem Reuters
Image caption Tela na Times Square comemora lançamento de ações do microblog chinês Weibo na bolsa Nasdaq

Os ganhos no mercado financeiro, em especial na China, elevaram o patrimônio global das famílias em 14% no ano passado, para um volume recorde de US$ 152 trilhões - o equivalente a cerca de dez vezes o tamanho da economia americana, segundo um relatório da consultoria Boston Consulting Group.

No Brasil, onde o patrimônio das famílias havia crescido 14% em 2012, a alta em 2013 foi menor - 5,6% - por causa do ritmo mais fraco do mercado de ações e títulos no ano passado.

O patrimônio é calculado levando em conta a poupança, depósitos em dinheiro, ações e outros ativos. Imóveis, artigos de luxo e empresas não são contabilizados.

"Em quase todos os países, o crescimento no patrimônio privado foi liderado pela alta no mercado de ações que começou na segunda metade de 2012", afirmou o Boston Consulting Group (BCG).

A riqueza acumulada em ações subiu 28% no ano passado, afirmou a consultoria.

"O desempenho foi impulsionado pela relativa estabilidade econômica na Europa e nos Estados Unidos, e sinais de recuperação em alguns países europeus, como Irlanda, Espanha e Portugal."

Milionários asiáticos

A consultoria calcula que o patrimônio acumulado das famílias se aproximará de US$ 200 trilhões em 2018. A formação da nova riqueza ocorrerá principalmente na região de Ásia-Pacífico.

Excluindo o Japão, o patrimônio na região subiu 30% em 2013, para US$ 37 trilhões, disse o BCG, e deve chegar a US$ 61 trilhões em 2018.

Neste ano, a Ásia-Pacífico deve superar a Europa como a segunda região mais rica do mundo, e ultrapassar a América do Norte para chegar à liderança em 2018.

O ritmo do acúmulo de riqueza nos países da região é ilustrado pela multiplicação de famílias milionárias (com patrimônio acima de US$ 1 milhão) na China.

Em 2012, eles eram 1,5 milhão de lares; um ano depois, contavam 2,4 milhões.

No mundo, o número de famílias milionárias passou de 13,7 milhões em 2012 para 16,3 milhões em 2013.

Os Estados Unidos, onde acumulam um patrimônio de US$ 50,3 trilhões, ainda são o país com o maior número de agregados familiares milionários: 7,1 milhões, sendo que, destes, 1,1 milhão são consideradas novas famílias milionários.

Notícias relacionadas